Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Há, pelos menos, três maneiras de conhecer o verdadeiro carácter de uma pessoa



1 - Quando está Bêbada.

2 - Quando discute Futebol.

3 - Quando fala de Política.
.
.

Agência Lusa chama porcos a deputados do PS

.



«A possibilidade de o PS votar a favor das propostas do PSD/CDS de modelação dos cortes nos subsídios de férias e de Natal causou "perturbação" na bancada socialista, disseram à agência Lusa deputados deste partido.»


IMAGEM e texto in Agência Lusa, 28-11-2011


Notas do Zorate:
A Agência Lusa está a chamar porco a quem?
Aos socialistas que querem votar a favor da proposta do PSD/CDS ou aos que querem votar contra?




Foto tirada pelo editor deste blogue ao site da Lusa:


Um em cada quatro portugueses com dor não a trata por falta de dinheiro


«Um em cada quatro portugueses com dor crónica não segue o tratamento prescrito pelos médicos por falta de dinheiro, indica um estudo da revista "Deco Proteste".



Segundo o estudo, publicado na última edição da revista "Deco Proteste", os doentes queixam-se da rápida perda de eficácia dos fármacos prescritos, sublinhando o custo elevado do tratamento, que ronda os 77 euros/mês, a que se junta muitas vezes a despesa com o transporte até à unidade de saúde ou hospital e o preço das consultas privadas.

De acordo com os dados recolhidos, os custos apurados para o Estado e para as empresas são "de grande dimensão" uma vez que a dor mal controlada é a causa de cerca de 11 milhões de faltas ao trabalho todos os anos.

Os dados indicam que, no último ano, 28% dos portugueses faltaram ao trabalho nove dias em média por sentirem dores.


Os problemas nas costas e no pescoço são responsáveis pelo sofrimento da maioria das pessoas que responderam ao inquérito. Cerca de metade dos inquiridos revelou dores de cabeça e enxaquecas e quatro em cada 10 dores nos músculos e nas articulações.

Além de Portugal, o estudo foi feito ao mesmo tempo noutros quatro países - Bélgica, Brasil, Espanha e Itália - por organizações de consumidores e em todos as dores musculoesqueléticas lideram o 'ranking'.


De acordo com o estudo, a dor crónica (de forma continua ou persistente por mais de três meses) afecta 27% dos portugueses e um em cada três não tem acompanhamento médico.

A amostra do estudo da "Deco Proteste", que decorreu entre Janeiro de Março de 2011, abrangeu 2370 portugueses que responderam ao inquérito, cujos dados foram depois tratados "para assegurar a representatividade por idade, sexo, região e nível de educação", referem os responsáveis pelo trabalho.»


Texto in JN online, 28-11-2011
Imagem in Google

domingo, 27 de novembro de 2011

Portugal com fome volta a encher a barriga com Fado e Futebol

.


«Fado reconhecido como Património Imaterial da Humanidade da Unesco»


Imagem e texto in DN online, 27-11-2011


Notas do Zorate:
Quase 40 anos depois, Portugal com fome volta a encher a barriga com Fado e Futebol.
Curiosamente, desta vez, pela mão de homens que se consideram de Esquerda.
Ou será que António Costa, Carlos do Carmo e José Mário Branco são homens do anterior regime?

sábado, 26 de novembro de 2011

Perto de 2 milhões de inscritos a mais no Serviço Nacional de Saúde tiram médico de família a quem precisa


«Sabe-se que o número de inscrições no Serviço Nacional de Saúde é maior do que a população nacional, mas não foi encontrada ainda forma de retirar da lista os cerca de 1,9 milhões de nomes a mais. Luís Cunha Ribeiro, presidente da ARS de Lisboa e Vale do Tejo, sugeriu este sábado, no Porto, que se procure uma solução através do número de contribuinte.

"A Comissão Nacional de Protecção de Dados tem impedido que se cruzem alguns dados, mas não queremos violar a privacidade ou os direitos de ninguém, só queremos saber quantos somos. É assim tão difícil?", disse esta manhã Luís Cunha Ribeiro, no seminário "Uma nova política de Saúde? Que actores?", que decorre durante todo o dia na Universidade Católica do Porto.

O médico, presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (que já foi presidente do INEM e director clínico do Hospital de S. João), deu como exemplo esta discrepância, que faz com que milhares de portugueses não tenham acesso a médico de família, para demonstrar que o desafio agora é gerir informação e não adquirir mais.

"Há 12,4 milhões de inscritos nos centros de saúde e muitos destes devem estar inscritos em mais do que um médico de família", afirmou.

"Nos últimos 12 anos, gastaram-se 600 milhões de euros em sistemas de informação. E com 600 milhões de euros gastos, conseguimos não saber quantos somos no Serviço Nacional de Saúde (SNS), algo tão simples quanto isso", declarou Cunha Ribeiro. Segundo dados da Administração Central do Sistema de Saúde, há 12 444 655 inscritos nos centros de saúde portugueses, embora a população nacional seja de cerca de 10,5 milhões de pessoas. Em Setembro, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse, na Assembleia da República, que há mais de um milhão e 700 mil portugueses sem médico de família, a maioria deles na região da Grande Lisboa.

"Já coleccionamos informação que chegue, temos é que gerir essa informação", sublinhou o médico. Em declarações ao JN, sugeriu que se cruze apenas a identificação fiscal com o registo no SNS. "Há uma informação infalível, que é o número de contribuinte, que só se pode ter um e sabemos que toda a gente tem", referiu. Só na área da sua tutela, na Grande Lisboa, há 4,2 milhões de pessoas inscritas nos centros de saúde quando a população total é de 3,6 milhões.

Isto acontece, explicou, porque há utentes que se inscrevem em dois ou mais centros de saúde. "Às vezes, as pessoas vão de férias, precisam de medicamentos e inscrevem-se noutro centro de saúde", disse Luís Cunha Ribeiro. O seminário prossegue até às 18.30 horas, no pólo da Asprela da Universidade Católica do Porto, e conta, esta tarde, com a participação do presidente da Entidade Reguladora da Saúde, Jorge Simões e com dois ex-ministro da Saúde, António Correia de Campos e Luís Filipe Pereira.»



in JN online, 26-11-2011

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A minha querida amiga Luísa Portugal quer tratar-me da saúde!






A saúde é um direito.
Por isso, a minha querida amiga Luísa Portugal, directora dos Centros de Saúde desta região do Ribatejo, que conheço e sou amigo há muitos anos, anda a zelar por esse meu direito.
Mas como eu não tenho médico há quase dois anos, é caso para dizer:
A minha amiga Luísa quer tratar-me da saúde!




Vídeo in YouTube, 25-11-2011

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

UM NOVO RUMO


«Este é o momento de mobilizar os cidadãos de esquerda que se revêem na justiça social e no aprofundamento democrático como forma de combater a crise.

Não podemos assistir impávidos à escalada da anarquia financeira internacional e ao desmantelamento dos estados que colocam em causa a sobrevivência da União Europeia.

A UE acordou tarde para a resolução da crise monetária, financeira e política em que está mergulhada. Porém, sem a resolução política dos problemas europeus, dificilmente Portugal e os outros Estados retomarão o caminho de progresso e coesão social. É preciso encontrar um novo paradigma para a UE.

As correntes trabalhistas, socialistas e sociais-democratas adeptas da 3ª via, bem como a democracia cristã, foram colonizadas na viragem do século pelo situacionismo neo-liberal.

Num momento tão grave como este, é decisivo promover a reconciliação dos cidadãos com a política, clarificar o papel dos poderes públicos e do Estado que deverá estar ao serviço exclusivo do interesse geral.

Os obscuros jogos do capital podem fazer desaparecer a própria democracia, como reconheceu a Igreja. Com efeito, a destruição e o caos que os mercados financeiros mundiais têm produzido nos últimos tempos são inquietantes para a liberdade e a democracia. O recente recurso a governos tecnocratas na Grécia e na Itália exemplifica os perigos que alguns regimes democráticos podem correr na actual emergência. Ora a UE só se pode fazer e refazer assente na legitimidade e na força da soberania popular e do regular funcionamento das instituições democráticas.

Não podemos saudar democraticamente a chamada "rua árabe" e temer as nossas próprias ruas e praças. Até porque há muita gente aflita entre nós: os desempregados desamparados, a velhice digna ameaçada, os trabalhadores cada vez mais precários, a juventude sem perspectivas e empurrada para emigrar. Toda essa multidão de aflitos e de indignados espera uma alternativa inovadora que só a esquerda democrática pode oferecer.

Em termos mais concretos, temos de denunciar a imposição da política de privatizações a efectuar num calendário adverso e que não percebe que certas empresas públicas têm uma importância estratégica fundamental para a soberania. Da mesma maneira, o recuo civilizacional na prestação de serviços públicos essenciais, em particular na saúde, educação, protecção social e dignidade no trabalho é inaceitável. Pugnamos ainda pela defesa do ambiente que tanto tem sido descurado.

Os signatários opõem-se a políticas de austeridade que acrescentem desemprego e recessão, sufocando a recuperação da economia.

Nesse sentido, apelamos à participação política e cívica dos cidadãos que se revêem nestes ideais, e à sua mobilização na construção de um novo paradigma.

Mário Soares
Isabel Moreira
Joana Amaral Dias
José Medeiros Ferreira
Mário Ruivo
Pedro Adão e Silva
Pedro Delgado Alves
Vasco Vieira de Almeida
Vitor Ramalho

Lisboa, 23 de Novembro de 2011»



 in DN online, 23-11-2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Jorge Sampaio, testemunha abonatória de José Penedos

.
- Jorge Sampaio, ex-presidente da República -




«Manuel Godinho depositou 200 mil euros na conta do então presidente da REN, José Penedos.

A afirmação foi feita hoje à tarde pelo perito da PJ que participou na investigação do processo Face Oculta, em Aveiro. Vítor Marques afirmou em julgamento que o sucateiro Manuel Godinho depositou em 2009 os dois cheques na conta de José Penedos, à data ainda presidente da REN (Rede Elétrica Nacional).
O dinheiro foi depois transferido por José Penedos para a conta do filho, Paulo Penedos, acrescentou o perito Vítor Marques, da UNIF - Unidade Nacional de Informação Financeira, da PJ.

José Penedos e o filho, Paulo Penedos, são ambos arguidos no processo Face Oculta, cujo julgamento continua a decorrer no Tribunal de Aveiro.

Nas contas bancárias de Armando Vara não foram detetados quaisquer movimentos bancários relacionados com Manuel Godinho, segundo afirmou o mesmo perito da Polícia Judiciária.»

Texto in Expresso online, 22-11-2011
Imagem in Google



Notas do Zorate:
Conheço e sou amigo de Jorge Sampaio há cerca de 30 anos.
Sampaio é, sem margem para dúvidas, um dos homens mais impolutos que conheço.
Dos vários momentos que lhe conheço, relato-vos aqui um que me marcou positivamente para o resto da vida:
Há cerca de 20 anos, Jorge Sampaio era presidente da Câmara Municipal de Lisboa e Secretário-Geral do PS.
Numa reunião havida em Odivelas (ainda concelho de Loures, cuja concelhia eu pertencia), penso que inserida na preparação das Legislativas de 1991 em que Cavaco Silva voltaria a vencer as eleições com maioria absoluta, apareceu um grupo de militantes a contestar a escolha de Sampaio como candidato do PS a primeiro-ministro.
Ora, aquela contestação não fazia qualquer sentido e efeito, isto porque Sampaio havia sido escolhido pelos órgãos competentes do partido, e essa escolha, boa ou má, era irreversível.
A coisa aqueceu e Jorge Sampaio determinado quis saber a razão daquela tamanha animosidade.
Não foi preciso muito tempo para a coisa ficar desvendada.
Jorge Sampaio, que até então estava sentado na mesa coordenadora da reunião, levantou-se e dirigiu-se ao "cabecilha do grupo":
- "O senhor não está ligado à empresa X?"
Após o sujeito confirmar, Sampaio com uma 'violência verbal' que lhe desconhecia, arrumou o sujeito:
- "Pois, se eu enquanto Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, tivesse alinhado com vocês na aprovação de um projecto de construção manifestamente ilegal, o senhor e os restantes membros que aqui o acompanham estariam agora a dar-me o vosso apoio!"
O grupo acabou por abandonar a reunião com o "rabinho entre as pernas".
Posto isto, vamos aos dias de hoje.
Sei que uma testemunha abonatória não relata factos em julgamento mas sim comportamentos de honestidade e cidadania em relação a determinado arguido.
Mas é suposto, penso eu, que se aceite apenas depor abonatoriamente a favor de alguém que sem margem para dúvidas não comprometa a honra do abonador.
Jorge Sampaio conhece mesmo bem José Penedos ao ponto de poder abonar a seu favor sem sair mal da cena?
A notícia transcrita em cima não vai nesse sentido.
Este é um dos casos onde eu gostaria, sinceramente, de estar enganado.
Aguardemos.



segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mais um ex-deputado Cavaquista detido


«Vítor Raposo, amigo e sócio de Duarte Lima, está a ser ouvido no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa.

- Vítor Raposo, ex-deputado do PSD -


Segundo fonte ligada ao processo, Vítor Raposo, também ele antigo deputado do PSD, está a ser ouvido desde cerca das 15.20 horas, pelo juiz Carlos Alexandre, depois de ter sido entregue, sob detenção, pela Polícia Judiciária.

O advogado e ex-deputado do PSD Duarte Lima está em prisão preventiva no âmbito de uma investigação judicial onde é suspeito de envolvimento em fraudes ao banco BPN de quase 50 milhões de euros. O filho, Pedro Lima, ficou em liberdade mediante o pagamento de uma caução de 500 mil euros. O outro suspeito deste caso, Vítor Raposo, tinha viajado para a Guiné na semana passada.

As autoridades suspeitam que Duarte Lima tenha usado dois testas-de-ferro para adquirir 35 parcelas de terreno na zona para onde chegou a ser anunciada a construção das novas instalações do Instituto Português de Oncologia (IPO), em Oeiras. Os negócios terão sido feitos, em 2007, pelo filho do ex-deputado, Pedro Lima, e pelo empresário e também ex-deputado do PSD Vítor Raposo, sócios maioritários do fundo imobiliário Homeland, que realizou o negócio.»



Texto in JN online, 21-11-2011
Imagem in Google

O socialismo ibérico

.



Cartoon de Henrique Monteiro 21-11-2011

domingo, 20 de novembro de 2011

Assunção Esteves: "Política perdeu peso para o poder económico"

.


«A presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, criticou a atuação dos partidos europeus na atual crise.

"Os partidos europeus estão a falhar o seu papel. Estão silenciosos. Ninguém ouve falar do papel do PPE do PSE nesta crise", afirmou Assunção Esteves, em entrevista ao jornal "Público".

Segundo a responsável, a "política perdeu peso para o poder económico", pelo que é necessário que a União Europeia esteja unida e decida a revisão dos tratados europeus.

Assunção Esteves diz, contudo, acreditar que "numa folha A4 se podia mudar a Europa toda."»



Imagem e texto in Expresso online, 20-11-2011

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Duarte Lima ficou onde devem estar os Bandidos: na prisão


«O antigo deputado do PSD, Domingos Duarte Lima, ficou em prisão preventiva, no âmbito do processo relacionado com o BPN. O filho, Pedro Lima, sai em liberdade com a obrigação de se apresentar semanalmente à polícia. Pagou uma caução de 500 mil euros.

- Duarte Lima foi detido na quinta-feira de manhã em casa -

A decisão do juiz Carlos Alexandre foi tomada depois de quase 12 horas de interrogatório aos dois suspeitos dos crimes de burla qualificada, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais num caso relacionado com a compra de terrenos em Oeiras com dinheiros do BPN.

Pai e filho foram detidos na quinta-feira de manhã e foram ouvidos, durante todo o dia desta sexta-feira, pelo juiz Carlos Alexandre no Tribunal Central de Instrução Criminal.

No decurso desta investigação foram realizadas na quinta-feira buscas em Lisboa, Porto e Algarve.

Os advogados de Duarte Lima já explicaram que se trata de processos distintos. »


in JN online, 18-11-2011
Título do post de Zorate

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Quem é o advogado dos pais de Rui Pedro?

.


Ricardo Sá Fernandes, advogado de  defesa (constituído) de Carlos Cruz condenado a 7 anos de prisão efectiva por abusos  sexuais cometidos a menores de idade.

Com o devido respeito pela dor dos pais de Rui Pedro, acho que há aqui qualquer coisa que escapa à minha  humilde compreensão.

Não bate a bota com a perdigota.

Pode ser que eu esteja a ver mal as coisas.



Mais um Cavaquista detido por fraude

 
«Duarte Lima foi detido, esta madrugada, pela Polícia Judiciária no âmbito de um processo de branqueamento de capitais relacionado com o BPN.

Duarte Lima foi detido por suspeita de fraude relacionada com o BPN, confirmou o JN, junto de fonte da judiciária.

Pedro Lima, filho do ex-líder parlamentar do PSD, também foi detido pela PJ.

O ex-deputado vai ser agora presente no Tribunal Central de Investigação Criminal, em Lisboa, para primeiro interrogatório judicial, que será conduzido pelo juiz Carlos Alexandre.

A Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária está a fazer buscas em casas de Duarte Lima no Porto e no Algarve.»


in JN online, 17-11-2011
 

domingo, 13 de novembro de 2011

Paula Teixeira da Cruz, uma mulher zangada com a vida


Ontem vi, na televisão, a Ministra da Justiça fazer um ataque raivoso a Marinho Pinto, no Congresso dos Advogados, realizado na Figueira da Foz.




Numa altura em que a Justiça portuguesa anda pelas ruas da amargura, era importante que os seus agentes, a começar pela Ministra, estabelecessem pontes de comunicação que possibilitassem a reabilitação daquele sector indispensável ao funcionamento da Democracia.

Por razões respeitáveis, Paula Teixeira da Cruz é uma mulher zangada com a vida.

Ora, uma pessoa zangada com a vida não pode gostar de ninguém.

Por isso, não percebo porque razão aceitou fazer parte do Governo.

Ainda por cima de um Governo que tem que gerir grandes conflitos.

Terá sido uma “fuga para a frente”?

Pelos vistos em vão.

Tenho pena.

Ao contrário de Marinho Pinto, gosto de Paula Teixeira da Cruz.




Imagem de Paula Teixeira da Cruz in Google

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Cidadão confronta Armando Vara à entrada do julgamento 'Face Oculta'




Um popular confrontou hoje Armando Vara à entrada do julgamento do processo Face Oculta. "Todos os nossos políticos deviam ser julgados, porque a nossa geração e a dos meus filhos estão a pagar pela classe política", disse o popular.



Vídeo in YouTube, 09-11-2011

População de Muge (Salvaterra de Magos) manifesta-se contra encerramento da extensão de saúde


A população de Muge esteve ontem, terça-feira, 08-11-2011, toda a tarde e principio da noite, concentrada frente à extensão de saúde, afim de não permitir a transferência dos processos dos doentes e outros equipamentos para a extensão da Glória do Ribatejo.

O protesto terminou com um cordão humano composto por várias dezenas de utentes, que marcharam entre a extensão de saúde e a sede da Junta de Freguesia de Muge, exigindo a reabertura do seu posto médico.

A acompanhar esta manifestação de protesto esteve uma equipa de reportagem da TVI, recolhendo imagens e depoimentos que serão transmitidos hoje, quarta-feira, por aquele canal nos programas informativos: "Jornal da Uma" e "Jornal das 8".


Vídeo da marcha:





in Ecos de Salvaterra, 09-11-2011

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Vasco Lourenço sabe do que fala


"A convulsão social está em marcha"


- Vasco Lourenço -



«O capitão de Abril Vasco Lourenço diz que a convulsão social é inevitável, porque as políticas estão a pôr "cidadãos contra cidadãos", acrescentando ter esperança que os militares consigam "ter calma" e ser um "esteio no meio da perturbação".

"Venho alertando há muito que ou se alterava o rumo dos acontecimentos ou se assistiria à 'revolta dos escravos'. É com grande preocupação que assisto [ao que está a acontecer em Portugal e na Europa], mas também não é surpresa nenhuma", disse à Lusa o coronel, que preside à Associação 25 de Abril.

Para Vasco Lourenço, as políticas dos últimos anos são "inaceitáveis" porque "estão a pôr-se cidadãos contra cidadãos, funcionários [públicos] contra trabalhadores do setor privado, estão a criar-se divisões artificiais que podem dar lugar a confrontos e situações complicadas em Portugal".

O coronel, que foi um dos protagonistas da Revolução do 25 de Abril de 1974, diz que o problema é a falta de "ideias políticas para resolver os problemas" já que os dirigentes nacionais e internacionais estão a tentar solucioná-los "com as mesmas medidas que deram origem à crise".

"É evidente que a contestação social teria de ser um facto. A convulsão está em marcha e vem aí. Não vale a pena meter a cabeça na areia, que é aquilo que se anda a fazer há muito anos. Portugal não é excepção. Por muito bons costumes que tenhamos, por muito que tenhamos a mania que somos pacíficos, a minha convicção é que a convulsão social será um facto", afirmou.

"A minha esperança é que os militares consigam ser um esteio no meio da perturbação e consigam ter a calma suficiente para não entrar na própria convulsão de forma anárquica e possam, em último caso, evitar perturbações maiores", disse ainda.

Mas o coronel espera também "que os políticos em Portugal olhem para as Forças Armadas como um sustentáculo do Estado e não como uma coisa que se pode deitar fora, que é o que tem sido feito de há bastantes anos a esta parte".

Vasco Lourenço referiu-se, a este propósito, ao caso da Grécia, que mudou recentemente as chefias militares: "Não sei bem o que se terá passado lá. Aquela mudança cheirou-me um bocado a encenação. Mas se havia alguma coisa em marcha não é a demissão dos generais e de uns quantos oficiais que vai resolver o problema".

Sobre as manifestações de funcionários públicos e militares convocadas para sábado, em Lisboa, Vasco Lourenço diz que "fazem parte da situação, dessa convulsão que vai aumentando".

"As pessoas têm direito de se manifestar, espero que o façam de forma ordeira, pacífica, vincando as suas posições, e espero que os políticos saibam ler os sinais que daí vêm. Agora, se se manifestarem e ficar tudo na mesma ou ainda pior, é evidente que virão novas manifestações e a seguir outras atitudes menos corretas", acrescentou, considerando a seguir que "a 'revolta dos escravos' pode depois transformar-se numa revolução" para "alterar as regras do jogo", ou seja, "a exploração que o capital faz aos trabalhadores, as desigualdades que vêm aumentando".

Vasco Lourenço sublinhou estar a fazer "apenas uma análise" e não "a defender que se faça isto ou aquilo".»



in DN online, 07-11-2011



Notas do Zorate:
Vasco Lourenço é, sempre foi, um homem moderado. Um verdadeiro democrata.
Não é o doido e inconsequente Otelo.
Os senhores do poder que se cuidem!
Vasco Lourenço sabe do que fala.

domingo, 6 de novembro de 2011

Uma semana depois de ser formalmente acusado, Domingos Duarte Lima resolveu vir a público chamar estúpidos aos portugueses e brasileiros que acompanham esta fase miserável da sua vida


“Sempre estive, e estou, ao dispor das autoridades”


- Domingos Duarte Lima -



«Duarte Lima diz, numa missiva enviada pelo seu advogado à agência Lusa, que está disposto a esclarecer às autoridades o que se passou no Brasil.

"Sempre estive, e estou, ao dispor de todas as autoridades judiciárias, para prestar os esclarecimentos que estas me solicitem, apesar das especulações, insinuações e mentiras que têm sido divulgadas", diz.

 Duarte Lima classificou de "hedionda" a acusação de homicídio de Rosalina Ribeiro, reafirmando a sua inocência e garantindo que a vai demonstrar no processo, junto das instâncias judiciais competentes.   
         
"Dessa acusação hedionda sou completamente inocente, e a demonstração dessa inocência será feita no processo, junto das instâncias judiciais competentes", escreve Duarte Lima.      
      
"Apesar das especulações e mentiras que têm sido divulgadas, e que visam destruir-me pessoal, social, profissional e humanamente, esta matéria só pode ser tratada com isenção e verdade nos órgãos judiciais competentes", escreve. 
        
O ex-deputado considera que a acusação das autoridades brasileiras foi precedida de "fugas de informação selectivas para alguns órgãos de comunicação social portugueses" que abriram "caminho para um linchamento público, e não para a descoberta da verdade" sobre o assassínio da sua ex-cliente Rosalina Ribeiro "através dos procedimentos normais num Estado de Direito".   
      
Na missiva, Duarte Lima diz ainda estranhar que a acusação tenha sido divulgada na comunicação social e que tenha sido recusado ao seu advogado no Brasil, João Costa Ribeiro Filho "o total acesso ao processo para tomar conhecimento dos factos que a fundamentam".   
       
No âmbito do mesmo processo, um pedido de ‘habeas corpus’ relacionado deu entrada no Superior Tribunal de Justiça do Brasil.»

in CM online, 06-11-2011



Notas do Zorate:
“Sempre estive, e estou, ao dispor das autoridades”, diz Duarte Lima.
Quem recusou responder a 193 perguntas das autoridades policiais do Rio de Janeiro?
Quem se deslocou ao Brasil para se encontrar com Rosalina Ribeiro, sabendo que a senhora tinha viagem marcada para Portugal uma semana depois?
Quem alugou um carro em Belo Horizonte e o entregou lavadinho e sem o tapete do pendura?
Quem disse por fax à policia que não sabia a marca do carro nem o nome da empresa de aluguer, e meses depois escreveu à empresa a pedir factura do aluguer?
Quem foi que de um hotel de Belo Horizonte telefonou para uma loja de armas e munições, precisamente na véspera do homicídio de Rosalina?
Quem foi que conduzia o referido carro (alugado em Belo Horizonte) apanhado várias vezes pelos radares de velocidade perto do local do homicídio?
Quem é que tendo assuntos a tratar no Rio, opta por viajar de Portugal para Belo Horizonte e depois faz 890 cansativos kilometros (ida e volta) de carro?
Duarte Lima acha que quem acompanha este seu miserável caso são uma cambada de estúpidos?

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Uma imagem que vale por 1000 palavras

.




Imagem recebida por e-mail, cujo autor desconheço

Trio de Ataque aos subsídios de férias e de natal



Por acção ou omissão, estes três artistas formam o Trio Odemira-te depois se não mais receberes na tua vida os subsídios de férias e de natal.


Seguro com Passos largos para Portas da direita.




Imagem in Google

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Que mal fiz eu aos deuses todos?


Não: Não quero nada.
Já disse que não quero nada.

Não me venham com conclusões!
A única conclusão é morrer.

Não me tragam estéticas!
Não me falem em moral!
Tirem-me daqui a metafísica!
Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas
Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!) —
Das ciências, das artes, da civilização moderna!

Que mal fiz eu aos deuses todos?

Se têm a verdade, guardem-na!

Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica.
Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo.
Com todo o direito a sê-lo, ouviram?

Não me macem, por amor de Deus!

Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?
Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim, como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
Para que havemos de ir juntos?

Não me peguem no braço!
Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho.
Já disse que sou sozinho!
Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia!

Ó céu azul — o mesmo da minha infância —
Eterna verdade vazia e perfeita!
Ó macio Tejo ancestral e mudo,
Pequena verdade onde o céu se reflete!
Ó mágoa revisitada, Lisboa de outrora de hoje!
Nada me dais, nada me tirais, nada sois que eu me sinta.

Deixem-me em paz! Não tardo, que eu nunca tardo...
E enquanto tarda o Abismo e o Silêncio quero estar sozinho!


Fernando Pessoa

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.