Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

A minha namorada faz hoje 53 anos



Ela tinha 15 anos e eu 18 quando começámos a namorar.

38 anos depois, sempre que as nossas vidas o permitem, apesar de não vivermos juntos (será esse o segredo?), continuamos a namorar.

Um dia destes - a pedido da nossa Neta - vamos casar.

Parabéns, "Pariga"!

Que este dia se repita por muitas vezes, com Saúde, Paz e Amor.

Obrigado por seres a mãe dos meus filhos!

Obrigado por seres "a avó mais fofinha do mundo"! 








Vídeo in YouTube

sexta-feira, 25 de abril de 2014

A cidade de Santarém saiu à rua para recordar a madrugada da revolução






«A cidade de Santarém saiu à rua para recordar uma das noites mais emblemáticas da sua história recente: a madrugada de 24 de abril de 1974, quando Salgueiro Maia partiu em direção a Lisboa para depor o regime então liderado por Marcelo Caetano.

A antiga Escola Prática de Cavalaria voltou a abrir as suas portas para receber as largas centenas de populares que assistiram à recriação histórica, que começou na parada onde, precisamente 40 anos antes, se concentraram as tropas comandadas por Fernando Salgueiro Maia.

Pouco passada das 00 horas do dia 25 de abril quando se voltou a ouvir o discurso que o capitão deixou nessa noite aos homens que o acompanharam na madrugada da revolução.

A coluna militar, composta por cerca de 60 figurantes e nove viaturas, saiu mesmo do quartel e percorreu parte da cidade, ao som das senhas da revolução, e acompanhada pelos que entoavam "E depois do Adeus", de Paulo de Carvalho, e "Grândola, Vila Morena", de Zeca Afonso, ao longo do percurso e ao lado dos atores desarmados.

Esta dramatização, organizada pela ViverSantarém e nunca antes feita em Santarém, terminou no Jardim dos Cravos, junto à estátua de Salgueiro Maia.

Foram depositados cravos aos pés do capitão e cumpriu-se um minuto de silêncio pela memória de um dos principais protagonistas da queda do regime fascista, no ano em que se comemora o 40º aniversário da implementação da democracia em Portugal.»


Fonte: Rede Regional, 25 de abril de 2014

Os comunicados do Movimento das Forças Armadas no dia 25 de abril de 1974


(O M. F. A. ATRAVÉS DO RÁDIO CLUBE PORTUGUÊS)

Antes das 4 h

Aqui Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas. As Forças Armadas Portuguesas apelam para todos os habitantes da cidade de Lisboa no sentido de recolherem a suas casas nas quais se devem conservar com a máxima calma. Esperamos sinceramente que a gravidade da hora que vivemos não seja tristemente assinalada por qualquer acidente pessoal para o que apelamos para o bom senso dos comandos das forças militarizadas no sentido de serem evitados quaisquer confrontos com as Forças Armadas. Tal confronto, além de desnecessário, só poderá conduzir a sérios prejuízos individuais que enlutariam e criariam divisões entre os portugueses, o que há que evitar a todo o custo.
Não obstante a expressa preocupação de não fazer correr a mínima gota de sangue de qualquer português, apelamos para o espírito cívico e profissional da classe médica esperando a sua acorrência aos hospitais, a fim de prestar a sua eventual colaboração que se deseja, sinceramente, desnecessária.

Às 4,45 h

A todos os elementos das forças militarizadas e policiais o comando do Movimento das Forças Armadas aconselha a máxima prudência, a fim de serem evitados quaisquer recontros perigosos.
Não há intenção deliberada de fazer correr sangue desnecessariamente, mas tal acontecerá caso alguma provocação se venha a verificar.
Apelamos para que regressem imediatamente aos seus quartéis, aguardando as ordens que lhes serão dadas pelo Movimento das Forças Armadas.
Serão severamente responsabilizados todos os comandos que tentarem, por qualquer forma, conduzir os seus subordinados à luta com as Forças Armadas.

Apelo às forças militarizadas

Aqui Posto de Comando das Forças Armadas. Informa-se a população de que, no sentido de evitar todo e qualquer incidente, ainda que involuntário, deverá recolher às suas casas, mantendo absoluta calma.
A todos os componentes das forças militarizadas, nomeadamente às forças da G. N. R., P. S. P. e ainda às forças da ID. G. S. e da Legião Portuguesa, que abusivamente foram recrutadas, lembra-se o seu dever cívico de contribuírem para a manutenção da ordem pública, o que na presente situação só poderá ser alcançado se não for oposta qualquer reacção às Forças Armadas. Tal reacção nada teria de vantajoso pois apenas conduziria a um indesejável derramamento de sangue que em nada contribuiria para a união de todos os portugueses.
Embora estando crentes no civismo e no bom senso de todos os portugueses no sentido de evitarem todo e qualquer recontro armado, apelamos para que os médicos e pessoal de enfermagem se apresente aos hospitais para uma colaboração que fazemos votos por que seja desnecessária.

Às 5 h

Atenção elementos das forças militarizadas e policiais. Uma vez que as Forças Armadas decidiram tomar a seu cargo a presente situação será considerado delito grave qualquer oposição das forças militarizadas e policiais às unidades militares que cercam a cidade de Lisboa.
A não obediência a este aviso poderá provocar um inútil derramamento de sangue cuja responsabilidade lhes será inteiramente atribuída.
Deverá por conseguinte, conservar-se dentro dos seus quartéis até receberem ordens do Movimento das Forças Armadas.
Os comandos das forças militarizadas e policiais serão severamente responsabilizados caso incitem os seus subordinados à luta armada.

Às 7,30 h

Conforme tem sido difundido, as Forças Armadas desencadearam na madrugada de hoje uma série de acções com vista à libertação do País do regime que há longo tempo o domina.
Nos seus comunicados as Forças Armadas têm apelado para a não intervenção das forças policiais com o objectivo de se evitar derramamento de sangue. Embora este desejo se mantenha firme, não se hesitará em responder, decidida e implacavelmente, a qualquer oposição que venha a manifestar-se.
Consciente de que interpreta os verdadeiros sentimentos da Nação, o Movimento das Forças Armadas prosseguirá na sua acção libertadora e pede à população que se mantenha calma e que se recolha às suas residências. Viva Portugal!

As 10,30 h

O Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas constata que a população civil não está a respeitar o apelo já efectuado várias vezes para que se mantenha em casa.
Pede-se mais uma vez à população que permaneça nas suas casas a fim de não pôr em perigo a sua própria integridade física. Em breve será radiodifundido um comunicado esclarecendo o domínio da situação.

Às 11,45 h

Na sequência das acções desencadeadas na madrugada de hoje, com o objectivo de derrubar o regime que há longo tempo oprime o País, as Forças Armadas informam que de Norte a Sul dominam a situação e que em breve chegará a hora da libertação.
Recomenda-se de novo à população que se mantenha calma e nas suas residências para evitar incidentes desagradáveis cuja responsabilidade caberá integralmente às poucas forças que se opõem ao Movimento.
Chama-se a atenção de todos os estabelecimentos comerciais de que devem encerrar imediatamente as suas portas, colaborando desta forma com o Movimento, de modo a evitar açambarcamentos desnecessários e inúteis.
Caso esta determinação não seja acatada, será forçoso decretar o recolher obrigatório. Ciente de que interpreta fielmente os verdadeiros sentimentos da Nação, o Movimento das Forças Armadas prosseguirá inabalavelmente na missão que a sua consciência de portugueses e militares lhes impõe. Viva Portugal!

Às 13 h

O Movimento dias Forças Armadas informa as famílias de todos os seus elementos que eles se encontram bem e que tudo decorre dentro do previsto.
Pretendendo continuar a informar o Pais sobre o desenrolar dos acontecimentos históricos que se estão processando, o Movimento das Forças Armadas comunica que as operações, iniciadas na madrugada de hoje, se desenrolam de acordo com as previsões, encontrando-se dominados vários objectivos importantes, de entre os quais se citam os seguintes:

- Comando da Legião Portuguesa;
- Emissora Nacional;
- Rádio Clube Português;
- Radiotelevisão Portuguesa;
- Rádio Marconi;
- Banco de Portugal;
- Quartel-General da R. M. de Lisboa;
- Quartel-General da R. M. do Porto;
- Instalações do Quartel-Mestre-General;
- Ministério do Exército, donde o respectivo ministro se pôs em fuga;
- Aeroporto da Portela;
- Aeródromo Base n.° l;
- Manutenção Militar;
- Posto de Televisão de Tróia;
- Penitenciária do Forte de Peniche.

Sua Ex.ª o almirante Américo Tomás, Sua Ex.ª o prof. Marcelo Caetano e os membros do Governo encontram-se cercados por forças do movimento no quartel da Guarda Nacional Republicana, no Carmo, e no Regimento de Lanceiros 2 tendo já sido apresentado um ultimato para a sua rendição.
O Movimento domina a situação em todo o País e recomenda, uma vez mais, que toda a população se mantenha calma. Renova-se também a indicação já difundida para encerramento imediato dos estabelecimentos comerciais, por forma a não ser forçoso o decretar do recolher obrigatório. Viva Portugal!

Às 15 h

O Movimento das Forças Armadas, tendo conhecimento de que elementos da Guarda Nacional Republicana se fazem passar por elementos amigos avisa de que tais elementos são adversos, pelo que aconselha a população a abandonar o Largo do Carmo, o Rossio e o Camões.

Às 17,30 h

O Movimento das Forças Armadas têm ocupados os estúdios da R. T. P. em Lisboa e no Porto, embora no centro emissor de Monsanto se registe uma interferência provocada por forças da reacção, que, a todo o momento serão dominadas. Logo de seguida, a Radiotelevisão Portuguesa entrará ao serviço do Movimento das Forças Armadas e do Pais, noticiando os seus comunicados.

Às 18,20

Aqui posto de comando das Forças Armadas. Em aditamento ao último comunicado, o Movimento das Forças Armadas informa a Nação que conseguiu forçar a entrada no quartel da Guarda Nacional Republicana, situado no Largo do Carmo, onde se encontrava o ex-Presidente do Conselho e outros membros do seu ex-Governo.
O Regimento de Lanceiros 2, onde se recolheram outros elementos do seu ex-Governo, entregou-se ao Movimento das Forças Armadas, sem que houvesse necessidade do emprego da força que os cercava.
A quase totalidade da Guarda Nacional Republicana, incluindo o seu comando e a maioria dos elementos da Polícia de Segurança Pública, já se rendeu ao Movimento das Forças Armadas.
O M. F. A. agradece à população civil todo o carinho e apoio que tem prestado aos seus soldados, insistindo na necessidade de ser mantido o seu valor cívico ao mais alto grau. Solicita também que se mantenha nas suas residências durante a noite, a fim de não perturbar a consolidação das operações em curso, prevendo-se que possa retomar as suas actividades normais amanhã, dia 26. Viva Portugal!

Às 19,50 h

Posto de contando do Movimento das Forças Armadas.
Continuando a dar cumprimento à sua obrigação de manter o País ao corrente do desenrolar dos acontecimentos, o Movimento das Forças Armadas informa que se concretizou a queda do Governo, tendo Sua Ex.ª o prof. Marcelo Caetano apresentado a sua rendição incondicional a Sua Ex.ª o general António de Spínola. O ex-presidente do Conselho, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e o ex-ministro do Interior encontram-se sob custódia do Movimento, enquanto Sua Ex.ª o almirante Américo Tomás e alguns ex-ministros do Governo se encontram refugiados em dois aquartelam entoa que estão cercados pelas nossas tropas e cuja rendição se aguarda para breve.

O Movimento das Forças Armadas agradece a toda a população o civismo e a colaboração demonstrados de maneira inequívoca desde o início dos acontecimentos, prova evidente de que ele era o intérprete do pensamento e dos anseios nacionais.

Continua a recomendar-se a maior calma e a estrita obediência a todas as indicações que forem transmitidas. Espera-se que amanhã a vida possa retomar o seu ritmo normal, por forma a que todos, em perfeita união, consigamos construir um futuro melhor para o País. Viva Portugal!

Às 21 h

Aqui posto de comando do Movimento das Forças Armadas. Segundo comunicação telefónica aqui recebida cerca das 20.30, ter-se-iam verificado incidentes na Rua António Maria Cardoso, onde se situa a sede da D. G. S.
No decorrer desses incidentes, foram feridas algumas pessoas, encontrando-se já no local assistência médica. Aguarda-se a todo o momento a intervenção das Forças Armadas. Estes incidentes vêm mais uma vez confirmar a necessidade de a população civil cumprir o pedido formulado pelo M. F. A., recolhendo às suas residências e mantendo a calma.

Para conhecimento de toda a população informa-se que se encontram sanados os incidentes ocorridos com a Polícia de Segurança Publica e que, a partir deste momento, ela aderiu totalmente ao movimento. Assim com a finalidade de manter a ordem e salvaguardar as vidas e os bens, pede-se a todos que aceitem, obediente e prontamente, quaisquer indicações que lhes sejam transmitidas por elementos daquela corporação ou da Polícia Militar. Igualmente deverão ser obedecidos os agentes das Brigadas de Trânsito. Torna-se indispensável que a população continue a manifestar a sua compreensão e civismo. E a melhor forma de o fazer no momento é manter-se calmamente nas suas residências.



Fonte: Centro de Documentação 25 de Abril

Zeca Afonso - 'Grândola, Vila Morena'



"Grândola, Vila Morena"' é uma canção composta e cantada por Zeca Afonso que foi escolhida pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) para ser a segunda senha de sinalização da Revolução dos Cravos. A canção refere-se à fraternidade entre o povo de Grândola, vila do Alentejo. À meia noite e vinte minutos do dia 25 de Abril de 1974, a canção foi transmitida pelo programa independente Limite através da Rádio Renascença como sinal para confirmar o início da revolução. Também por esse motivo, transformou-se em símbolo da revolução, assim como do início da democracia em Portugal.





Vídeo in YouTube
Texto in Wikipédia

domingo, 20 de abril de 2014

Parabéns, Sport Lisboa e Benfica!



Parabéns, Benfiquistas!

O Sport Lisboa e Benfica acaba de conquistar o seu 33º título de Campeão Nacional de Futebol.




Imagem Google

sábado, 19 de abril de 2014

Parabéns, Sporting Clube de Portugal!


Parabéns, Sportinguistas!

O Sporting Clube de Portugal acaba de garantir o segundo lugar na Liga e acesso direto à "Champions".





Imagem in Google

Parabéns, Roberto Carlos!


Roberto Carlos completa hoje, 19 de Abril de 2014, 73 anos de idade; e surgiu na varanda do seu prédio, na UrcaRio de Janeiro, para agradecer aos Fãs que ali se deslocaram para o homenagear.





Roberto Carlos é uma pessoa que marcou muito a minha meninice e adolescência, e que mais tarde, nos anos 90, tive a honra de conhecer ao vivo no Rio de Janeiro.

Por isso, enviei-lhe esta tarde, via Facebook, esta mensagem:


"Parabéns, Roberto Carlos! Que este dia se repita por muitas vezes, com Saúde, Paz e Amor. Abraço do tamanho do mundo!  "



Imagem de Roberto Carlos in seu Facebook

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Honra a Salgueiro Maia!






Boa tarde! 


Quem adulterou esta foto de Salgueiro Maia - que circula nas redes sociais - na minha modesta opinião, ofendeu a nossa memória colectiva e, principalmente, a honra deste Herói de Abril.

Salgueiro Maia foi um Homem que NUNCA se deixou calar. Nem a Ditadura o calou.

Bem sei que alguns donos do 25 de Abril querem, através desta fotomontagem, fazer passar a ideia que o actual Governo PSD/CDS - formado por partidos que NUNCA contaram com os meus votos - quer calar os militares de Abril.

Ora, como já aqui escrevi, nunca alguém, na qualidade de militar de Abril, discursou na sessão solene comemorativa do 25 de Abril.

Por isso, é falso que queiram calar os militares de Abril.

Não me identifico com esta Esquerda (?) falaciosa que quer adulterar a história.

Honra a Salgueiro Maia!

Viva o 25 de Abril!

Viva a Liberdade!


Alberto João (Catujaleno)

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Faz hoje 36 anos que fui pai pela primeira vez


Segunda-feira, 17 de Abril de 1978, pelas 21:35 horas, algures na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa, nasceu um dos melhores filhos do mundo.

Parabéns, Filho!




Obrigado, Mulher!





Roseira, botão de gente

A força
Que eu tive no momento
Tecendo o teu corpo
A primeira vez
Está agora no teu ventre
Em movimento
No filho que a gente fez

Depois irá pouco a pouco
Ficando maior
Por dentro de ti
E o teu corpo me segreda
Quando toco
Que o meu filho está ali

Eu fui a semente
Tu és o canteiro
Dum cravo de carne
Que tem o meu cheiro
Eu fui o arado
Tu és a seara
Seara de trigo sem fim
Seara lavrada por mim

O que um homem sente
Quando a companheira
Dá flor no presente
Para a vida inteira
É como se o sangue
Fosse uma roseira
Roseira, botão de gente
Rosa da minha roseira

A vida que tece outra vida
É vida parida
É vida maior
Tens agora a palpitar
A minha vida
No teu ventre, meu amor

Depois
O sangue dos dois
Será vida nova
Será uma flor
Flor de carne a despontar da primavera
Do teu ventre, meu amor

José Carlos Ary dos Santos





Imagem in Web
Vídeo in YouTube

Assembleia da República não é palco para Associação 25 de Abril




Não consigo entender esta polémica criada à volta da possibilidade de um representante da Associação 25 de Abril discursar na sessão solene dos 40 anos do 25 de Abril.

Tenho pelos militares de Abril uma enorme admiração e uma imensa gratidão por terem derrubado um regime totalitário, que me permitiu viver em Liberdade.

Alguns - a maioria - desses militares, um ano e meio depois, no dia 25 de Novembro de 1975, voltaram a servir a Liberdade e a Democracia, quando travaram a tentativa do PCP e alguma extrema-esquerda de implantarem em Portugal outra ditadura.

Mas... o seu a seu dono!

Alguma vez um militar de Abril usou da palavra, nessa qualidade, na sessão solene do 25 de Abril na Assembleia da República?

Não tenho memória disso.

Eu percebo o eterno bota-abaixo do PCP e do Bloco de Esquerda.

Já não compreendo a posição do PS nesta matéria.

Quando o PS teve maioria absoluta no Parlamento, alguma vez permitiu que um militar de Abril falasse, nessa qualidade, na sessão solene?

Permitiu que o fizesse - e muito bem, uma intervenção memorável - Marques Júnior, mas... na qualidade de deputado.

Feliz quinta-feira para TODOS/AS!

PS: Na nossa Democracia Representativa, a Assembleia da República é o espaço de intervenção dos Deputados; dos membros do Governo - quando ali vão prestar contas - e do Presidente da República. A Associação 25 de Abril e outros respeitáveis movimentos de Cidadania têm que procurar outros palcos.


Alberto João (Catujaleno)

domingo, 6 de abril de 2014

A sede que um homem deseja






Imagem in Web
Título do post baseado no slogan dos anos 60 do poeta José Carlos Ary dos Santos: "Cerveja Sagres, a sede que se deseja".

terça-feira, 1 de abril de 2014

Este tempo fez-me lembrar "Tempo, é preciso tempo" da música 'Still Loving You' dos Scorpions






Vídeo in YouTube

OVNIs em Muge!



Cerca das 3h20m da madrugada de hoje, avistei e fotografei estes três Objectos Voadores Não Identificados parados por cima das torres da igreja de Muge.


Por alguns minutos, a igreja e as casas envolventes ficaram de tal forma iluminadas que dei comigo a pensar que estava em pleno dia de sol e quente de Julho ou Agosto.





Estou pasmo!!!



Nota do editor:
1º de abril: "Dia consagrado ao deus Loki, dos truques e das brincadeiras, culto que teria posteriormente gerado o Dia da Mentira" in Wikipédia. 
Imagem in Web

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.