Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

terça-feira, 30 de junho de 2009

Investigação: Sexo diário melhora a qualidade do esperma...

Um estudo sobre infertilidade masculina revela que ejacular diariamente durante uma semana diminui visivelmente os danos no ADN do esperma.




Numa conferência sobre fertilidade, o autor da investigação, David Greening, explicou que tinha aconselhado os casais que tomaram parte na pesquisa a fazer sexo apenas a cada dois ou três dias e, para já, os resultados mostram-se positivos: o esperma de oito em casa dez homens revelou uma diminuição de 12% nos danos do ADN, ao fim de sete dias de sexo. Depois desta semana, os espermatozóides registaram também um ligeiro aumento na sua mobilidade.

Segundo a BBC, a teoria defendida pelo médico é de que o esperma, enquanto fica nos testículos, tem maiores probabilidades de acumular danos no DNA, além dos espermatozóides se tornarem mais lentos. O esperma está também sujeito à acção negativa dos radicais livres - pequenas moléculas reactivas que podem causar estragos nos genes e levar à morte das células - quando fica armazenado nos canais que o transportam para fora dos testículos.

David Greening admitiu que é necessário aprofundar o estudo para saber se uma vida sexual activa tem o mesmo efeito nos homens sem problemas de fertilidade, mas alertou também que fazer sexo diariamente durante um período muito prolongado pode levar a uma diminuição excessiva do esperma.

Ainda assim, recomendou “muito sexo” na altura em que a mulher está a ovular, já que à medida que os homens envelhecem o sexo deixa de ser tão frequente e, consequentemente, há maiores dificuldades em conceber. “Talvez estejamos a culpar as mulheres quando os casais envelhecem, mas pode haver um contributo do homem”, destacou o médico.




Texto in DN online, 30-6-2009

Brasil: Superior Tribunal de Justiça decide que sexo com menores não é crime...



«Numa decisão controversa e que muitos receiam poder instigar o turismo sexual, o Superior Tribunal de Justiça do Brasil, a segunda instância mais importante do país, deliberou que fazer sexo pago com menores não é crime.

A sentença, que chocou juristas e defensores dos Direitos Humanos e mereceu a condenação da UNICEF, confirmou uma outra do tribunal do estado de Mato Grosso do Sul, que absolveu dois homens apanhados em flagrante num encontro sexual em que participavam três meninas, de 12, 13 e 15 anos, que vivem da prostituição e foram abordadas numa paragem de autocarro.

O tribunal considerou que desde que se prostituam voluntariamente os menores deixam de estar a coberto das leis que os protegem. »





Texto in CM online, 30-6-2009

A reforma que o PS não teve coragem de fazer: PSD vai analisar unificação das Polícias...

«O vice-presidente do PSD José Pedro Aguiar Branco anunciou que o partido vai analisar a hipótese de propor a unificação das forças policiais, depois de ter ouvido posições a favor dessa unificação.

Aguiar Branco falava aos jornalistas a meio de uma reunião do PSD com representantes de estruturas associativas e sindicais das forças policiais, da Ordem dos Advogados e do Ministerio Público, em Lisboa.

A reunião enquadra-se no Fórum Portugal de Verdade do PSD e tem como objectivo recolher contributos para o programa eleitoral social-democrata.

De acordo com Aguiar Branco, os participantes na reunião apontaram "o falhanço que ainda hoje existe no que diz respeito à coordenação entre as diversas forças de segurança" e a "deficiente partilha de informação".

"É algo preocupante no que diz respeito ao combate à criminalidade, o que nos leva inclusivamente a equacionar questões que têm a ver com a própria unificação das forças policiais", acrescentou.

Questionado pelos jornalistas se o PSD admite propor a unificação das forças policiais, Aguiar Branco respondeu que essa "foi uma matéria colocada na mesa como algo que o partido deveria pensar", com o argumento de que "permitiria uma melhor racionalização dos meios, quer humanos, quer de equipamento".

"Esse elemento de estudo também o partido tomará", adiantou.

Interrogado se o PSD vai ponderar essa hipótese, respondeu: "Se nos é colocada para nós ponderarmos e se estamos aqui numa lógica de boa fé, iremos analisar essa situação".

"Não quero é agora assumir isso como um compromisso", ressalvou Aguiar Branco, reafirmando que "isso será avaliado pelo partido".»

in JN online, 30-6-2009

Falhanço do ministro Rui Pereira: Em seis meses ardeu tanto como em 2008...


«A área ardida em Portugal atingiu nos primeiros seis meses do ano valores idênticos a todo o ano de 2008, cerca de 17 200 hectares, revelam dados provisórios da Autoridade Florestal Nacional.

O relatório provisório de incêndios florestais, disponível na página da Internet da Autoridade Florestal Nacional (AFN), mostra que entre 01 de Janeiro e 15 de Junho arderam 17 262 hectares (ha), entre povoamentos (4 612 ha) e matos (12 650 ha), área semelhante à devastada pelas chamas em todo o ano de 2008, quando foram consumidos 17 244 ha.

Segundo os dados, a área ardida até 15 de Junho mais do que quadruplicou face ao mesmo período do ano passado, quando arderam 4 251 hectares.

As ocorrências também aumentaram, tendo subido 88 por cento relativamente a período idêntico do ano passado, mas longe das 13 832 ocorrências verificadas em todo o ano de 2008.

De 01 a 15 de Junho deste ano registaram-se 6 981 ocorrências (2 129 incêndios florestais e 4 852 fogachos), de acordo com o relatório.

O histórico, entre 1999 e 2009, mostra que até 15 de Junho o total registado em ocorrências e área ardida é superior ao verificado no mesmo período de anos anteriores, à excepção de 2005, quando ocorreram 10 662 ocorrências que afectaram 20 575 hectares, adianta o documento da AFN.

Os dados mostram, igualmente, que Março foi o mês com o maior número de ocorrências (3 644) e área ardida (13 060), bem com em reacendimentos (181), correspondendo a área ardida a 76 por cento do total do ano.

De acordo com o documento, Vila Real é o distrito com maior área ardida, tendo sido consumidos 4 273 hectares, seguido de Bragança (2 946 ha) e Braga (2 943 ha).

Por sua vez, o maior número de ocorrências verificou-se no Porto, distrito "fortemente influenciado pelo elevado número de fogachos", que afectaram áreas inferiores a um hectare.

Distritos como Vila Real, Viseu e Bragança também apresentam um total de ocorrências elevado, sendo que Vila Real é o único que regista um número de incêndios florestais superior a fogachos, cujo significado é o aumento da área ardida, diz o relatório.

Segundo os dados provisórios, até 15 de Junho registaram-se 20 grandes incêndios (com uma área afectada igual ou superior a 100 hectares), correspondendo a 31 por cento da totalidade de hectares queimados.»
in JN online, 30-6-2009

Foi dito por Fernando Teixeira dos Santos, ministro das Finanças...

"Estamos a chegar ao fim da crise."
.
Fernando Teixeira dos Santos, ministro das Finanças, numa reacção aos dados divulgados pelo INE que revelam uma melhoria dos níveis de confiança das empresas e consumidores portugueses. Diário Económico, 30/06/2009, reproduzido no Expresso online.

Foi dito por Carlos Abreu Amorim...

"Teixeira dos Santos está muito acima da triste média que este Governo exibe. Seria descabido compará-lo com a dupla circense Pinho-Lino ou com as inexistências na Justiça, na Agricultura, na Saúde, etc..."
.
Carlos Abreu Amorim, "Correio da Manhã", 30-06-2009, reproduzido no Público online.

A disfunção eréctil afinal é uma bênção para os homens...

O grande pesadelo do sexo masculino revela-se um grande trunfo na prevenção de ataques cardíacos, diabetes e arteriosclerose.


Disfunção eréctil. Basta juntar as duas palavras para a maioria dos homens entrar em pânico. Haverá poucas doenças que ameaçam tanto a identidade masculina. Mas o que parece ser uma humilhação é, afinal, uma bênção que previne diabetes, arteriosclerose e enfartes. É um facto comprovado, garante o professor de Urologia da Universidade de Colômbia, em Nova Iorque, Ridwan Shabsigh.
"No dia em que um homem tiver uma disfunção eréctil, isso significa que, se mantiver os seus hábitos, terá um ataque cardíaco no espaço de três anos", explica o especialista perante uma plateia de médicos de todo o mundo, reunidos recentemente em Gotemburgo (Suécia) num seminário sobre perturbações sexuais masculinas.
A disfunção eréctil resulta igualmente do baixo nível de testosterona, um indicador que revela outra doença no intervalo de oito anos: a diabetes. Aquilo que é encarado como uma vergonha, funciona, afinal, como uma espécie de máquina para calcular os males que podem surgir a médio prazo. "É uma oportunidade de ouro para intervir." Homens de todas as idades ficam agora a saber que têm alguns anos pela frente para combater as doenças que nem sequer desconfiavam poder vir a ter. E também de recuperar a forma física na intimidade - já que a disfunção eréctil não é um mal irreversível. "Durante anos ensinei que esta era uma condição progressiva." O mal-entendido acabou no início desta década, quando se descobriu que um terço dos homens em todo o mundo viu a doença simplesmente regredir, depois de adoptar um estilo de vida saudável.
O recuo, conta Shabsigh, é avaliado através da massa corporal: quanto maior for este índice, mais baixo é o nível de testosterona. Como saber, então, se a doença está a regredir? A resposta está na barriga. "A obesidade abdominal mostra que há muito pouca quantidade de hormonas sexuais." E essa ausência está associada à alta taxa de mortalidade da população masculina. "A testosterona afecta tudo, desde a saúde óssea, à circulação sanguínea, músculos, massa gorda, etc."
Disfunção eréctil antecipa danos que avançam em silêncio: "Quando alguém sofre um ataque cardíaco hoje, quer dizer que o enfarte começou há 25 anos." Doenças cardiovasculares são processos lentos que evoluem sem alertas. "Os males crescem sem ruído e, por isso, continuamos indiferentes à hipertensão, ao colesterol ou à obesidade."Até ao dia em que é demasiado tarde. Mas não tem de ser assim. "Hoje sabemos que a disfunção eréctil é o primeiro aviso de que perturbações graves estão a caminho." É caso para dizer que um mau desempenho sexual pode salvar um homem.





in jornal "i" online, 30-6-2009

Câmara do Porto: O trambolhão da fraude...



Sondagem Universidade Católica: Rio reforça maioria, PS leva trambolhão.




«Os portuenses querem ver Rui Rio como presidente da Câmara até 2013 . E parece querê-lo com mais força, ao reforçarem a maioria absoluta do PSD/PP. O PS leva um enorme trambolhão e o BE senta-se no cadeirão da terceira força política.

Os dois pés com que o candidato da coligação PSD/PP se recandidata ao cargo (e que viraram slogan de campanha) podem ajudar a explicar a diferença cavada para os partidos de Esquerda. Os resultados da sondagem da Universidade Católica para o JN/DN/RTP/Antena 1 permitem concluir que Rui Rio reúne as preferências de 58% dos inquiridos, inflacionando em cerca de 12 pontos percentuais o "score" obtido nas eleições autárquicas de 2005 - que se cifrou em 46,2%. Ou seja: fica com margem mais do que suficiente para decidir, sem grandes resistências por parte dos partidos da Oposição.

O segundo dado relevante a retirar desta sondagem é, sem dúvida, a aparatosa queda dos socialistas, que obtêm menos de metade dos votos da coligação PSD/PP. Com os 25% alcançados por Elisa Ferreira, parece evidente o prejuízo causado por uma candidatura que se deixou enredar na circunstância de ser protagonizada por alguém que concorreu simultaneamente ao cargo de presidente de Câmara e de eurodeputada. Aparente fragilidade que os adversários da também professora de Economia têm sabido aproveitar. Tanto à Direita como à Esquerda.

Mais motivos para sorrir tem João Teixeira Lopes. O BE praticamente duplica o resultado alcançado no último sufrágio (de 4,2% para 8%) e destrona a CDU como terceira força política. Os comunistas ficam, assim, relegados para quarto lugar, com 5% dos votos. Todavia, é curioso verificar que, para os portuenses inquiridos, Rui Sá tem mais qualidades do que João Teixeira Lopes para ser presidente da Câmara do Porto.

Mas estará a cotação do BE (e, no fundo, da globalidade dos outros partidos) a padecer de um efeito de contaminação provocado pelos resultados das eleições europeias? Ou estarão os bloquistas a capitalizar, sobretudo, com o tropeção socialista? Globalmente, os partidos de Esquerda perdem, em relação aos resultados verificados nas últimas eleições autárquicas, um total de 11%.

Pese embora as polémicas que têm marcado o mandato de Rui Rio, 54% dos portuenses consideram a sua prestação globalmente positiva, exactamente o dobro dos que manifestam total indiferença perante este facto. Apenas 15% caracterizam como negativa a prestação do também vice-presidente do PSD.

Rui Rio parece, assim, escapar praticamente incólume aos vários fogos que se tem visto obrigado a apagar. De resto, até nos temas que mais preocupam os portuenses a resposta da Câmara tem sido, a julgar pelas respostas dadas, globalmente positiva. Assim aconteceu na degradação dos edifícios, assim aconteceu na criminalidade.»

in JN online, 30-6-2009





Reacção dos candidatos...

Elisa Ferreira: "Um duche de água fria"

"São números negativos e que, quando comparados com os de outras sondagens, fazem pensar que houve um reflexo do ambiente que se está a viver no país depois das eleições europeias. Também julgo que há aqui um efeito das acusações que me fizeram, cheias de má-fé, sobre a minha candidatura ao Parlamento Europeu. Espero que isto funcione como um duche de água fria e que faça com que as pessoas acordem para os problemas da cidade, para as minhas propostas e que acreditem na minha credibilidade. Vamos mobilizar-nos ainda mais. Faltam quatro meses".


Rui Rio: "Importante é o resultado final"
"Não há nenhuma eleição que tenha vencedores antecipados. Encaro as próximas eleições com a mesma humildade com que encarei as primeiras, em 2001. As sondagens enganam-se muitas vezes. Mesmo que me desse 90% dos votos diria sempre o mesmo. O importante é o resultado obtido a 11 de Outubro".


João Teixeira Lopes: "PS está a fazer tudo para sair derrotado"
"Parece-me evidente que o PS está a fazer tudo para sair derrotado, sobretudo depois da candidata ter anunciado que não permaneceria na Câmara se fosse eleita deputada europeia. Esta sondagem mostra, também, que a única força capaz de contrariar essa dinâmica de vitória de Rui Rio é o BE, dado que é, de entre os partidos da Esquerda, a única força que cresce. Em relação aos temas que mais preocupam os portuenses [criminalidade e edificado], devemos enquadrá-los na actual situação social que o país vive, bem como de um sentimento de insensibilidade social da Câmara e do Governo".
.
in JN online, 30-6-2009

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Mulheres portuguesas: A masturbação já não as assusta...

Um estudo português revela que as mulheres já não têm medo de tomar o prazer sexual nas próprias mãos.




"Não critiques a masturbação. É apenas sexo com alguém que amo." Mais claro é impossível. A frase de Woody Allen, no filme "Annie Hall", é uma definição digna de constar num dicionário. Mas que os homens estão à vontade com esta forma de amor e que falam dela sem problemas não é novidade. Billy Idol "dançava" sozinho, Prince cantava acerca das variadíssimas utilidades de uma revista em "Tamborine", e até Elvis Costello, muito antes do romântico "She", já elogiava a prática em "Pump It Up". E as mulheres? Será que a masturbação continua a ser uma forma de prazer reservada apenas aos homens?

A psicóloga Ana Alexandra Carvalheira, do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, quis investigar o tema e concluiu que as mulheres estão cada vez mais à vontade com o seu próprio corpo e com a masturbação. Das inquiridas, 79,6% toca directamente os genitais e apenas 8,5% nunca se masturbou.

Este comportamento demonstra uma boa vivência sexual. "A masturbação permite um conhecimento do corpo. A mulher só sabe que o clítoris é importante se o tocar e souber que ele existe." Aliás, o estudo indica ainda que as mulheres que se masturbaram na adolescência têm mais facilidade em ter orgasmos, comparadas com as que não o fizeram. Mas a investigadora, de 36 anos, explica, que apesar de os dados indicarem uma mudança, não representam a totalidade das portuguesas. "O estudo é representativo das mulheres utilizadoras da Internet, que vivem no meio urbano e têm cerca de 30 anos."

Diversidade Vibradores, chuveiros, almofadas, corrimãos e até selins de bicicleta. É caso para dizer que imaginação não lhes falta. "As mulheres têm uma maior plasticidade erótica do que os homens." Mesmo assim, continuam a ter sentimentos contraditórios em relação à masturbação: 14,3% têm vergonha e 9,5% sentem-se culpadas por o fazer. Estes preconceitos reflectem-se nas formas de masturbação.

Cerca de 20% masturbam-se sem se tocar. A psicóloga explica porquê: "É a pesada herança judaico-cristã que está associada ao modelo reprodutivo do sexo e à ideia de que a masturbação é pecado. Mas isto está a mudar. A educação das mulheres é menos repressiva e a sexualidade é vivenciada com mais liberdade."

A investigadora indica outra razão para o sentimento de vergonha. "Muitas mulheres estão insatisfeitas com a sua imagem corporal e a sexualidade passa pelo corpo."

Apesar disso, os dados de Ana Alexandra Carvalheira demonstram que a maioria das mulheres tem orgasmos nas relações sexuais. E até poderiam ter mais, a julgar pelos 56% que afirmam que gostariam de receber do parceiro melhor estimulação sexual. "A mulher deve comunicar o que deseja, porque os estímulos que eram adequados aos 20 anos, não são aos 40. O desejo feminino é muito flutuante e é influenciado por muitas variáveis psicológicas - como as emoções, o cansaço -, e biológicas, como as hormonas e até os fármacos."




Texto in jornal "i" online, 29-6-2009

Pombo-correio: 'Caixa negra' testa navegação...




Há milénios que o homem se serve deles como meio de comunicação à distância. Reza a lenda que o faraó Ramsés III, do Egipto, os usou para dar a conhecer ao povo a sua subida ao trono. Achados arqueológicos confirmam a sua utilização 6500 anos antes de Cristo. E até às últimas décadas do século XX continuavam a integrar as equipas dos correios de países como a Suíça e a Argentina.

Mas até hoje, ainda ninguém conseguiu explicar sem margem para dúvidas a forma como os pombos-correio encontram o seu caminho para casa, sendo largados aleatoriamente a dezenas ou mesmo centenas de quilómetros de distância das suas bases .

Estudos científicos já sugeriram que a posição relativa do Sol e o campo magnético terrestre são dois dos "instrumentos de navegação" da bem sucedida ave.

Mais recentemente, descobriu-se que os pombos, mesmo voando a centenas de metros de altitude, a 65 quilómetros por hora, também usam marcos visuais terrestres para se orientar.

Foi precisamente para perceber como funciona este último mecanismo que os cientistas decidiram inventar um sistema de registo de navegação adaptado a estes animais. À falta de melhor definição, podemos chamar-lhe "caixa negra" para pombos. Trata-se do Neurologger2, um dispositivo de apenas duas gramas, que recorre a electroencefalogramas para monitorizar a actividade cerebral das aves em pleno voo.

A tecnologia é complementada com minúsculos eléctrodos implantados nos pombos, que transmitem os sinais, e monitores de Global Positioning System (GPS) para comparar as variações nos seus impulsos cerebrais com as características do terreno.


Segundo um artigo publicado na revista científica Current Biology, o sistema foi testado com uma "equipa" de 26 pombos, treinados para reconhecerem o sótão de um edifício como a sua "base". As aves foram libertadas em pontos diferentes, entre 10 a 30 quilómetros do local.

No final, os cientistas descobriram, por exemplo, que a intensidade da actividade cerebral dos pombos aumentava quando estes sobrevoavam determinados marcos familiares do terreno, como uma auto-estrada, e que também se notavam variações entre paisagens mais neutrais (como o mar) e terrenos com relevo assinalável.

Esta tecnologia, com grande potencial científico, será agora testada em outros animais, como roedores e mamíferos marinhos.

Os pombos-correio têm perdido relevância como meio de comunicação. Mas são muito populares nas provas internacionais de velocidade e endurance, com centenas de milhares de "praticantes" a nível mundial, em que não faltam sequer as transferência milionárias dos melhores atletas.

in DN online, 29-6-2009



Foi dito pelo incansável Carlos Inácio...

"Parece-me que não há qualquer impedimento."
.
Carlos Inácio, assessor do vereador das Finanças e do Património da Câmara de Lisboa que acumula as suas funções na autarquia com a gestão de várias sociedades comerciais, incluindo imobiliárias e empresas de construção civil, sobre a legalidade e a ética da sua situação como alto responsável camarário na área das finanças e património, explicando as suas múltiplas actividades com o facto de gostar de trabalhar e "ganhar dinheiro" e não precisar de dormir muito. Público, 29/06/2009, reproduzido no Expresso online.

Foi dito por Honório Novo, deputado do PCP...

"Embalado pelo rescaldo da recente vitória eleitoral, o PSD mostra-se já arrogante e revela mesmo semelhanças genéticas com a postura típica do engenheiro Sócrates".
.
Honório Novo, deputado do PCP, "Jornal de Notícias", 29-06-2009, reproduzido no Público online.

Portugal tem um Governo à Benfica...

Plantel caro e sem resultados.



domingo, 28 de junho de 2009

Joe Berardo: Responsáveis por problemas (do BCP) vivem "à grande e à francesa"...

- Joe Berardo, o acusador -


«Os responsáveis pelos problemas no Banco Comercial Português (BCP) continuam "a viver à grande e à francesa", enquanto os accionistas enfrentam dificuldades todos os dias. Quem o diz é Joe Berardo que, em declarações à TSF, referiu-se ao facto de Jardim Gonçalves continuar a ter regalias de luxo, depois de ter abandonado a presidência do banco há ano e meio.

O BCP paga ao antigo presidente um avião a jacto para viagens pessoais e 40 seguranças privados, situação com a qual o terceiro maior accionista do BCP e presidente do Conselho de Remunerações do banco quer acabar, revelando que este é só um dos problemas para resolver na instituição.

"Há muitas coisa más pendentes, mas espero que em breve sejam anunciados os nossos outros problemas. Não sei como é possível que ainda hoje se abuse do que está a acontecer no BCP. Os accionistas são prejudicados todos os dias, e esses meninos que fizeram o problema todo continuam a viver à grande e à francesa", frisou Joe Berardo à estação de rádio.

O presidente do Conselho de Remunerações do BCP assume mesmo que estes benefícios são ilegais: "O problema é que há coisas foram feitas de forma ilegal hoje e no passado".

Hoje, o Diário Notícias avançou que o antigo presidente da instituição faz viagens num jacto pago pelo BCP e tem ainda direito a 40 seguranças privados. Contactado pela TSF, a administração do BCP não quis fazer qualquer comentário a esta questão.»

in Expresso online, 28-6-2009


- Jardim Gonçalves, o acusado -


'Festa da Amizade': Vaca brava espalha caos em Benavente...



"Uma vaca brava evadiu-se do recinto da ‘Festa da Amizade’, hoje, em Benavente, e espalhou o caos ao investir contra dois homens que circulavam nas ruas, provocando ferimentos ligeiros em ambos. O animal seguiu pela estrada nacional e abrigou-se num silvado, a um quilómetro do local, voltando a ferir um dos homens que a agarraram e a colocaram de volta no veículo de transporte de gado, uma hora depois.

O incidente começou durante a troca de transportes, junto ao recinto das largadas, tendo o animal encontrado um ponto de fuga que o levou a correr livremente pelo centro da vila até ao campo.

Depois deste episódio que provocaria o atraso do programa, os festejos continuaram sem incidentes com as largadas de mais duas vacas bravas e de dois toiros. Cerca de duas mil pessoas participaram no ‘Dia da Ressaca’, que encerrou a 41ª edição da ‘Festa da Amizade’, e assistiram às brincadeiras dos mais corajosos que enfrentaram os animais.»

in CM online, última hora, 28-6-2009




Nota:
As duas fotos publicadas não correspondem aos factos relatados pelo CM.

Cavalos: Portugal corre o risco de perder o Puro-Sangue Lusitano...



«Um grupo de 18 criadores de cavalos Puro-Sangue Lusitano apelou ao ministro da Agricultura que chame a si a manutenção da raça, acusando os actuais responsáveis de desvirtuarem a marca portuguesa ao deixarem o Brasil criar as suas próprias regras.

Em causa está o perigo de violação do padrão da raça Lusitana pura, tal como é conhecida, dizem os criadores, que acusam as direcções da Fundação Alter Real (FAR) e da Associação Portuguesa de Criadores do Cavalo Puro Sangue Lusitano (APSL) de autorizarem o Brasil a alterar as regras de criação daquela raça, admitindo, por exemplo, cavalos cruzados.


"Desde 2003 que o Brasil quer fazer cavalos à sua maneira", acusa Domingos Figueiredo, o primeiro signatário da lista.»

in jornal "i" online, 28-6-2009


- Cavalos Puro-Sangue Lusitano, ferro OG (Olga e Graziela), Casa Cadaval, Muge -



Herdade de Muge: há 400 anos na família Cadaval...

- Teresa Schönborn, condessa Schönborn-Wiesentheid e marquesa de Cadaval -


«Há cinco gerações que apenas mulheres Cadaval dirigem os destinos desta herdade: a de Muge, uma das maiores do Ribatejo. Hoje, a grande timoneira é uma marquesa e condessa: chama-se Teresa Schönborn-Wiesentheid e ainda tem ligações à família que possui o império Hermès.

Foi ao volante de uma carrinha de caixa aberta, a levantar muito pó pelo caminho, que Teresa Schönborn, condessa Schönborn- Wiesentheid e marquesa de Cadaval, mostrou ao DN a Herdade de Muge, também conhecida como Casa Cadaval. Tem cinco mil hectares, 800 cabeças de gado, uma coudelaria com 70 cavalos puro-sangue lusitano, vinha a perder de vista, vastos campos cultivados e uma zona dedicada à exploração turística.

No centro da propriedade - da família Cadaval há quase 400 anos - fica uma casa secular, palco de histórias fantásticas, onde Teresa Schönborn passou férias em pequena e onde vive desde 1982.

A ligação dos Cadaval à herdade de Muge é tão antiga quanto o próprio ducado. No início do século XVII, a propriedade estava nas mãos dos condes de Odemira, mas quando Maria de Faro (filha dos condes) se casou com D. Nuno Álvares Pereira de Melo, 1.º duque de Cadaval (título conferido em 1648), a herdade passou a estar sob o domínio da Casa Cadaval, tendo nas últimas cinco gerações sido dirigida apenas por mulheres. Hoje, é Teresa Schönborn, marquesa de Cadaval, que assume os seus destinos.

Filha de Graziela Álvares Pereira de Melo, filha de Olga de Cadaval, e do conde alemão Schönborn-Wiesentheid, Teresa Schönborn nasceu e cresceu na Alemanha rural mas fala português escorreito sem vislumbre de sotaque. Em casa sempre conviveu com três línguas em simultâneo: o português, língua materna, o alemão, língua paterna, e o italiano, por via de ambas as avós.

"A mãe e o pai falavam italiano entre eles porque era a língua tanto da minha avó materna como da minha avó paterna. Depois, nós falávamos com a mãe em português e com o pai em alemão. A nós, não fazia confusão nenhuma, mas para quem via de fora devia ser muito estranho", conta, a rir.

Os contactos e as visitas a Portugal eram regulares: " Todos os anos, passávamos umas seis semanas de férias em Muge. A minha mãe, que dirigia a propriedade, vinha sempre 15 dias antes e ficava mais 15 dias além das nossas férias", lembra.

Proprietário de vastas vinhas na Alemanha, o conde Karl von Schönborn, marido de Graziela Álvares Pereira de Melo, tinha uma larga experiência na produção vinícola, conhecimentos que aplicou na propriedade ribatejana.

O conde sugeriu à sua mulher a plantação das castas cabernet sauvignon, pinot noir e trincadeira em parcelas separadas e devidamente identificadas. Na altura, foi pioneiro, hoje, trata-se de uma prática comum. A Casa Cadaval acabou por ser uma das grandes responsáveis pela sobrevivência da trincadeira, casta nobre tinta do Ribatejo.

Anos mais tarde, a revolução abateu-se sobre a propriedade ribatejana. A pressão da reforma agrária que se fazia sentir em força no Alentejo teve as suas consequências na herdade de Muge, que esteve em vias de ser tomada e escapar ao domínio de quase 400 anos dos Cadaval.

"Foram os empregados da propriedade que a defenderam de ser ocupada", garante a marquesa. A difícil situação política obrigou a família a mudar-se definitivamente para Portugal no início dos anos 80 e em 1998, após a morte da sua mãe, Teresa Schönborn assumiu os comandos da propriedade com empenhamento e muita paixão. Como nunca se casou, Teresa Schönborn costuma dizer a brincar: "Eu casei-me com Muge."

Pelo seu empenho, em 2008, recebeu o mais importante prémio para uma produtora de vinho - o prémio Mulher do Vinho 2008, na terceira edição dos Prémios Internacionais EVA, o único prémio gastronómico feminino internacional. Hoje, Teresa Schönborn tem uma visão de futuro baseada na continuidade do marco deixado pelos seus antepassados.»



- Fachada norte do palácio da Casa Cadaval, Muge -

Texto in DN online, 27-6-2009

sábado, 27 de junho de 2009

'Verão com Vida 2009' hoje no Coliseu de Lisboa...


«'Verão com Vida 2009' é o trabalho de Alunos das Academias de Dança de Sintra I e II, Loures e Azambuja, que culmina no dia 27 de Junho no Coliseu dos Recreios em Lisboa.

Crianças, Jovens e Adultos, cerca de 500 bailarinos, juntam-se para mostrar como a Dança faz parte da sua vida e torna os seus dias cheios de vida.

Ballet, Dança Espanhola, Ritmos Latinos, Salsa e Merengue, Hip Hop, Dança Contemporânea, Dança Oriental, são algumas das propostas que vão transformar este dia num acontecimento emblemático, tanto para os nossos Bailarinos como para o nosso público.

Afinal, a Dança não é apenas uma arte, mas um imenso prazer!»

in http://www.coliseulisboa.com/


Coliseu dos Recreios de Lisboa

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Cancro vence actriz: Farrah Fawcet morreu aos 62 anos...(com vídeo)...

O cancro acabou por vencer Farrah Fawcett. A actriz morreu, esta quinta-feira, em Los Angeles. O seu companheiro de há 30 anos, o actor Ryan O'Neal, não conseguiu ver o sonho de se casarem realizado. As homenagens à actriz multiplicam-se na internet, VEJA o VÍDEO de uma delas (no fim do post).



A actriz, que ficou conhecida como protagonista de Os Anjos de Charlie, morreu aos 62 anos. Farrah Fawcet lutava contra um cancro do cólon desde 2006 e acabou por sucumbir à doença esta quinta-feira.

O seu fiel companheiro de há quase 30 anos, que lhe havia finalmente arrancado o 'sim' para se casarem, não conseguiu ver o seu desejo realizado. Já não foi a tempo de abençoar a relação.
"Ela está agora com a sua mãe, com a sua irmã e com o seu Deus. Amava-a de todo o meu coração. Vou sentir muito a falta dela. Ela estava consciente e inconsciente. Falei com ela a noite toda. Disse o quanto a amava. Está agora num lugar melhor", afirmou Ryan O'Neal à People on-line.

Redmond, de 23 anos, o único filho do casal, está preso, devido a problemas com drogas, e não foi autorizado a despedir-se da mãe.





Texto e vídeo in Visão online, 26-6-2009

A fotografia...

...perfeita.


A raposa Miranda e as uvas...



"Não preciso disto para nada, não quero nenhum cargo e acho que já dei um contributo mais que suficiente para a implantação da democracia em Portugal."

Jorge Miranda, sobre a desistência da sua candidatura como candidato pelo PS para suceder a Nascimento Rodrigues no cargo de Provedor de Justiça, depois do seu nome ter sido sufragado duas vezes na Assembleia da República, mas em nenhuma das votações ter alcançado os dois terços de votos necessários. Diário de Notícias, 26/06/2009, reproduzido no Expresso online.


A Raposa e as Uvas
.
Certa raposa matreira,
que andava à toa e faminta,
ao passar por uma quinta,
viu no alto da parreira
um cacho de uvas maduras,
sumarentas e vermelhas.
Ah, se as pudesse tragar!
Mas lá naquelas alturas
não as podia alcançar.
Então falou despeitada:
- Estão verdes essas uvas.
Verdes não servem pra nada!
.
.
Poesia "A Raposa e as Uvas" in http://paginas.fe.up.pt/~fsilva/index.htm

Foi dito por Henriques Gaspar, vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça...


“há forças que convivem mal com a independência dos tribunais”
.
Henriques Gaspar, vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça, ontem empossado, in CM online, 26-6-2009

...


quinta-feira, 25 de junho de 2009

Morreu Michael Jackson...


«Michael Jackson morreu hoje, aos 50 anos, na sequência de uma paragem cardíaca»
.
Lusa, última hora, 25-6-2009





Maria da Fé recebe hoje no Coliseu dos Recreios a medalha da Cidade de Lisboa...


Lisboa, 25 Jun (Lusa) - A fadista Maria da Fé celebra hoje 50 anos de carreira no Coliseu de Lisboa, e receberá em cena aberta a Medalha da Cidade de Lisboa e uma Placa de Prata da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).

A SPA distingue a fadista pelos seus 50 anos ao serviço da música e dos autores portugueses, disse à Lusa fonte da instituição.

Sexta-feira a fadista actua no Coliseu do Porto, sua cidade natal.

Além de Maria da Fé, sobem aos palcos daquelas duas salas Ada de Castro, Aldina Duarte, Camané e António Zambujo, fadistas que já actuaram na sua casa de fados em Lisboa, Senhor Vinho, à Madragoa.

Os fadistas serão acompanhados à guitarra portuguesa por José Manuel Neto e Paulo Parreira, à viola por Carlos Manuel Proença e à viola-baixo por Daniel Pinto.

A fadista afirmou à agência Lusa guardar "gratas recordações" de uma carreira que começou no Porto, e que a levou a pisar "os mais importantes palcos do mundo".

Referindo-se aos espectáculos de hoje em Lisboa e de sexta-feira no Porto, Maria da Fé afirmou à Lusa que quer "surpreender e ser surpreendida".

"Não vou querer abrir o leque dos espectáculos, quero surpreender, mas também ser surpreendida", disse a fadista à Lusa.

Em palco Maria da Fé afirma que "há uma outra liberdade, diferente da que se tem numa casa de fados com o público ali mesmo. De facto sinto que sou outra pessoa, claro que tenho nervos e sinto medo, mas dá para termos uma abertura diferente".




Texto da Lusa, 25-6-2009

Isto não se faz a um pobre homem indefeso...

...tadinho.
(clique sobre a imagem para ler bem o texto)

quarta-feira, 24 de junho de 2009

João Miguel Tavares: Ministério Público não deixa Sócrates calar jornalista...

«O Ministério Público mandou arquivar a queixa crime movida por José Sócrates contra o jornalista e colunista do Diário de Notícias João Miguel Tavares.

A queixa foi arquivada pelo Ministério Público, que considerou que "as expressões utilizadas pelo arguido, dirigidas ao primeiro-ministro, ainda que acintosas e indelicadas, devem ser apreciadas no contexto e conjuntura em que foram publicadas, e inserem-se no exercício do direito de crítica, inscusceptiveis de causar ofensa penalmente relevante".

O despacho de arquivamento foi proferido pela procuradora Fernanda Alves.

João Miguel Tavares já reagiu, dizendo: "era o que estava à espera. mal seria se a decisão fosse outra".

O cronista do Diário de Notícias, recorde-se, foi alvo de uma queixa do primeiro-ministro por um artigo em que fazia referências à "licenciatura manhosa", aos projectos "duvidosos" da Guarda e ao "apartamento de luxo" comprado "a metade do preço". No mesmo artigo, Tavares fazia uma comparação entre Sócrates e Cicciolina.

Desde que no início do ano o caso Freeport voltou em força à praça pública que José Sócrates já lançou uma série de queixas crime. Além de João Miguel Tavares, foram processados vários jornalistas da TVI, incluíndo o director geral José Eduardo Moniz e a apresentadora do Jornal Nacional de Sexta-feira Manuela Moura Guedes. O director e dois outros jornalistas do Público foram também alvo de queixas crime.»

in Expresso online, 24-6-2009

Joe Berardo: "BCP continua a roubar e posso provar"...

«O comendador Joe Berardo, terceiro maior accionista do BCP, teceu hoje críticas sobre o banco onde detém uma posição 6,2 por cento, voltando à carga com as acusações de "roubo" e de "aldrabice", afirmando que tem provas desses actos.

"O BCP continua a roubar ainda hoje em dia e posso provar", atirou Joe Berardo, no decorrer do 'Ideia Fórum', promovido pelo jornal 'i' e que decorreu hoje em Lisboa.

Mais tarde, na saída do encontro, o empresário madeirense que detém 6,2 por cento do BCP, de acordo com os dados compilados pela agência de informação financeira Bloomberg, afirmou que "há poucos dias, Gordon Brown [primeiro-ministro inglês] disse que o presidente executivo do Royal Bank of Scotland tinha uma reforma muito elevada, de 800 mil libras por ano. Aqui [no BCP], alguns administradores reformados ganham mais do que isso".

Joe Berardo não especificou quem são os visados nas suas declarações.

"São valores extremamente elevados. Não tenho problema de eles serem bem remunerados, mas sim com as aldrabices feitas, alterando os resultados para daí beneficiarem eles próprios", reforçou Joe Berardo.»

in DN online, 24-6-2009

Foi dito por Paulo Morais...

"Ao pretender desbaratar os nossos impostos neste elefante branco [TGV], o primeiro-ministro surge agora aos olhos da opinião pública como o coveiro da economia portuguesa".
.
Paulo Morais, professor universitário, "Jornal de Notícias", 24-06-2009, reproduzido no Público online.

Foi dito por António Costa, presidente da Câmara Municipal de Lisboa...

"Isto de fazer obra e deixar para os outros pagarem é um hábito um bocado triste."
.
António Costa, num ataque ao mandato de Pedro Santana Lopes como presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Correio da Manhã, 24/06/2009, reproduzido no Expresso online.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Luís Filipe Menezes: "Pacheco Pereira é a loira do regime"...



Manchete do jornal "i", 20-6-2009

Jornal 'i': Entrevista a Pacheco Pereira pode ser publicada...

O historiador e membro do PSD proibiu publicação de uma entrevista ao jornal 'i', depois de ver declarações de Luís Filipe Menezes em manchete. Especialistas em jornalismo consideram que Pacheco Pereira não tem razão.




O militante do PSD, historiador, cronista e comentador televisivo Pacheco Pereira foi entrevistado por Maria João Avillez para o jornal i. Mas proibiu a sua publicação depois de ter visto a manchete de sábado, deste mesmo diário, em que foi destacada uma citação de Luís Filipe Menezes: "Pacheco Pereira é a loura do PSD."

Eis o que afirma o visado, no seu blogue Abrupto: "Embora muita gente que os leia não se aperceba das pequenas vinganças e desconsiderações. A capa do i de hoje [sábado] é um bom exemplo. Não me pronuncio, como é óbvio, sobre a 'entrevista' de Menezes que está ao seu nível e que não me surpreende. Mas surpreende-me que um jornal que se pretende sério escolha uma frase insultuosa para título, e isso é de sua responsabilidade." E acrescenta: "Sucede que, na quarta-feira passada, o i tinha-me pedido uma entrevista de fundo. Por consideração com a Maria João Avillez que ma pediu, dei a entrevista, estando presente uma equipa de televisão e um fotógrafo do jornal. Mas enganei-me quanto à seriedade do jornal a que dei a entrevista, pelo que, a não haver um pedido de desculpas pela afronta, não autorizo a sua publicação, facto que já comuniquei à Maria João Avillez."

Ora a proibição anunciada por Pacheco Pereira não tem qualquer tipo de obrigatoriedade, de acordo com os especialistas que o DN contactou. Caso o deseje, o i pode mesmo publicar a entrevista realizada por Maria João Avillez. "Que me lembre nunca se colocou uma situação destas", começou por dizer ao DN Alberto Arons de Carvalho, professor de Direito e Deontologia da Comunicação do curso de Ciências da Comunicação da Universidade de Lisboa e deputado do PS. "Numa entrevista há sempre um acordo entre as duas partes, que combinam entre si onde é feita, em que moldes, etc. Depois compete ao jornal onde coloca a entrevista e se a puxa para manchete. Penso que o i tem o direito de publicar a entrevista, apesar de haver aqui também uma questão de direitos de autor, que é repartida entre o jornal e Pacheco Pereira. Mas é mais um direito moral", explicou Arons de Carvalho. E acrescentou ainda: "Contudo, este assunto tem contornos éticos. Luís Filipe Menezes queria mesmo achincalhar Pacheco Pereira. E este agora está a empolar a situação colocando o i como um jornal pouco aconselhável. Eu penso que o i cumpriu o que tinha a cumprir.".

Opinião similar tem o presidente do Conselho Deontológico dos Jornalistas. "Não acho que Pacheco Pereira possa fazer essa exigência, já que argumenta com uma questão colateral à própria entrevista que deu. Se o jornal quiser publicá-la tem todo o direito de o fazer", Orlando César.

Mário Bettencourt Resendes, provedor do Diário de Notícias, considera que a exigência de Pacheco Pereira não faz "qualquer sentido". E afirma: "A partir do momento em que dá a entrevista não tem o direito de proibir a sua publicação. Se o jornal tivesse uma posição crítica em relação a Pacheco Pereira já seria diferente. Não me parece que seja o caso."

O DN contactou, ao longo do dia de ontem, Martim Avillez Figueiredo, director do i, e Pacheco Pereira, mas sem sucesso até ao fecho da edição. Maria João Avillez não quis comentar a situação, tal como José Azeredo Lopes, presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

in DN online, 23-6-2009




Acidente em Washington: Dois comboios do metro colidem...(com vídeo)...

Pelo menos nove pessoas morreram e cerca de 70 ficaram feridas no choque de segunda-feira, entre dois comboios da rede de metro de Washington.

Este acidente é "o mais grave" ocorrido na história do serviço ferroviário de Washington, nas palavras do presidente da Câmara da cidade, Adrian Fenty, que deu uma conferência de imprensa no local do acidente.

O número de feridos é "de pelo menos 70", confirmou, por seu lado, o chefe do Departamento de Bombeiros de Washington, Dennis Rubin.




in Visão online, 23-6-2009

Foi dito por João Miguel Tavares...



"O país anda há uma semana a analisar o 'novo Sócrates', com profundas reflexões sobre a queda dos decibéis, a milagrosa multiplicação da palavra 'humildade' e o seu novo olhar de carneirinho mal morto. Mas (...) reduzir a discussão política a uma inflexão vocal é, digamos assim, um bocadinho redutor".
.
João Miguel Tavares, "Diário de Notícias", 23-06-2009, reproduzido no Público online.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Reflexão sobre o Benfica...

Sempre ouvi dizer que em equipa que ganha não se mexe.
Por isso, Luís Filipe Vieira merece continuar como presidente do Benfica.

José Eduardo Moniz processa jornal ‘A Bola’...



«O director-geral da TVI, José Eduardo Moniz, vai avançar com um processo judicial contra o jornal ‘A Bola’, o seu director, Vítor Serpa, e o jornalista José Manuel Delgado. Na edição de hoje, o jornal desportivo refere que a eventual candidatura de Moniz à presidência do Benfica estaria ligada a um negócio para “tomar de assalto” o clube da Luz, através de um negócio que envolveria os grupos espanhóis Prisa e Mediapro.

Recorde-se que, na passada quinta-feira, Moniz anunciou que não avançava com a candidatura à presidência do Benfica, rejeitando o convite apresentado pelo movimento ‘Benfica, Vencer, Vencer’.

Na altura, o director-geral da TVI justificou a recusa com o facto de não ter tempo para formar um projecto sólido, atendendo à antecipação das eleições no clube para o próximo dia 3 de Julho.»

in CM online, última hora, 22-6-2009



Foi dito por Pedro Santana Lopes...

"Guiness? Só se for o do ridículo e do desespero."
.
Santana Lopes, sobre a presença do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa e do vereador José Sá Fernandes, sábado passado, no Mega-piquenique Concerto Modelo/Tony Carreira, cujo objectivo foi bater o record do Guiness World Records do maior piquenique do mundo. Correio da Manhã, 22/06/2009, reproduzido no Expresso online.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Foi dito por alguém sem ética republicana...

"'Às regalias' desse trampolim inconfessável quero renunciar pela minha cidade."
.
Elisa Ferreira, perante as críticas em torno da sua dupla candidatura (ao Parlamento Europeu e à C.M.Porto), afirmou que a renúncia ao cargo de eurodeputada "seria uma atitude construtiva, válida, que beneficiaria o partido", mas que só abandona Bruxelas de vez se ganhar a presidência da Câmara do Porto. Jornal de Notícias, 19/06/2009, reproduzido no Expresso online.

Foi dito por Nuno Domingues...

"As eleições do Benfica são afinal um negócio de milhões e talvez por isso devessem ser fiscalizadas por algum órgão de fiscalização financeira, se algum tivesse mais credibilidade que o futebol"
.
Nuno Domingues, Rádio Clube, 19-06-2009, reproduzido no Público online.

Elisa Ferreira: A derrota anunciada de uma candidatura autárquica...

...por falta de ética republicana.



«São cada vez mais as pressões de socialistas do Porto para que Elisa Ferreira renuncie já ao mandato de eurodeputada. Mas a ex-ministra reafirmou esta quinta-feira que só abandona Bruxelas de vez se ganhar a presidência da Câmara.

Elisa Ferreira até já está de malas feitas para o Porto. Já abandonou a sua residência em Bruxelas. "A mobília chega segunda-feira ao Porto, num camião-tir", revelou, ontem, na sua sede de candidatura à Câmara do Porto. A filha também já mudou de escola. Mas a mudança definitiva depende do resultado das autárquicas.

"Sou novamente deputada eleita ao Parlamento Europeu, mas 'às regalias' desse trampolim inconfessável (!) quero renunciar pela minha cidade, pela presidência da Câmara do Porto", reafirmou.

Questionada pelo JN se estaria disposta a renunciar por um lugar da vereação, a candidata do PS afirmou: "É um assunto que se poderá ponderar". Mas acrescentou, de imediato: "Não me candidato a vereadora. Essa questão deve ser colocada a todos os candidatos".

Elisa resistiu, assim, aos ataques de que diz ser alvo do PSD e às pressões internas no PS para renunciar já ao mandato. Ainda na Comissão Política Distrital de segunda-feira, o líder da bancada do PS na Assembleia Municipal do Porto defendeu que, "perante as críticas em torno da sua dupla candidatura, (a renúncia) seria uma atitude construtiva, válida, que beneficiaria o partido". Justino Santos afirmou-se convencido de que isso "daria outra credibilidade e força à candidatura à Câmara". "Se se demitisse ficava com mais condições para ganhar a Câmara do Porto", concorda o ex-candidato à liderança do PS/Porto, Pedro Baptista.

Há quem acrescente, porém, outro argumento: a renúncia asseguraria a eleição do vice-presidente do Parlamento Europeu, Manuel dos Santos. "Há um sentimento muito alargado de grande solidariedade para com Manuel dos Santos. Sendo o representante do Porto, não deveria ter ficado em oitavo lugar", diz Fernando Cerqueira, membro da Comissão Política Distrital do Porto.

A todos estes, Elisa responde, implicitamente: "Disse sempre a mesma coisa. É um assunto arrumado!". E vira-se para o tema que a levou à sede de candidatura: a apresentação do seu diagnóstico da cidade do Porto, revelando-se preocupada, nomeadamente, com a desertificação, o desemprego e o endividamento da autarquia.»

in JN online, 19-6-2009


Elisa Ferreira



Sócrates com o seu novo "Armani"...





quinta-feira, 18 de junho de 2009

José Eduardo Moniz: "Benfica passou da glória à banalidade"...


in JN online, 18-6-2009

Foi dito por Helena Matos...

"Era fatal como o destino que no Largo do Rato havia de se apresentar uma nova estratégia de imagem"
.
Helena Matos, em artigo de opinião, Público online, 18-6-2009

Foi dito por Paula Teixeira da Cruz...

"Embora o país tenha dito nas urnas que já chega ao actual primeiro-ministro, convém não o subestimar. Sócrates transformar-se-á no que os guerreiros do marketing político lho ditarem".
.

Paula Teixeira da Cruz, "Correio da Manhã", 18-06-2009, reproduzido no Público online.

Diz o roto ao nu...

"Apresentou-se como animal feroz, agora está à pressa a inventar personalidade português suave, modesto e humilde. Não cola consigo."
.
Paulo Portas, durante a apresentação da moção de censura do CDS/PP ao Governo, o líder democrata-cristão acusou o primeiro-ministro de estar a inventar uma nova personalidade depois dos resultados das eleições europeias do passado dia 7.TSF, 18/06/2009, reproduzido no Expresso online.

Estudo de psicóloga revela: Justiça 'tortura' crianças que são abusadas...

«Estudo de psicóloga revela que envolvimento de menores em processos judiciais é sempre uma experiência traumática. Em média, as crianças são sujeitas a oito interrogatórios.

Rúben tem 10 anos e foi abusado sexualmente pelo pai, mas quando denunciou a situação foi estigmatizado pela família que o abandonou. O mesmo aconteceu a Catarina, de 12 anos. Todos os familiares lhe viraram as costas. Os dois residiam na região do Porto, mas hoje estão institucionalizados. Foi o destino que lhes deram após o julgamento dos agressores, em ambos os casos pelos respectivos pais. Hoje arrependem-se de "terem aberto a boca" pois, para além de terem sido abusados sexualmente, foram depois confrontados com o "martírio judicial" que se seguiu. Em Portugal, em média, as crianças vítimas deste crime são sujeitas a oito interrogatórios diferentes tornando-se a experiência de denunciar a verdade negativa e traumática.


Este é, pelo menos, o resultado de um estudo realizado por Catarina Ribeiro, psicóloga no Centro de Investigação e Clínica Forense, que transformou em livro "A Criança na Justiça" , lançado amanhã pela livraria Almedina, no Arrábida Shopping, em Gaia. Mas a principal conclusão do trabalho é a de que as instituições não dão o apoio necessário às vítimas devido a uma falta de articulação entre o sistema judicial e o de protecção. "A falta de preparação dos agentes envolventes, de compreensão do desenvolvimento infantil, é evidente tanto ao nível da polícia, como dos juízes, dos magistrados do Ministério Público e até mesmo dos psicólogos e o que acontece é que as crianças são confrontadas com um excesso de perguntas, repetições dos inquéritos, existindo toda uma vulnerabilidade dos técnicos envolvidos", afirma Catarina Ribeiro. Esta docente da Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto analisou 30 processos do Círculo Distrital Judicial do Porto e entrevistou 15 crianças vítimas de abuso sexual intrafamiliar com idades entre os oito e os 12 anos. "Apercebi-me da ambivalência de sentimentos que demonstravam relativamente aos sistema judicial. Se por um lado consideravam que através da justiça os comportamentos de abuso terminam, por outro, achavam doloroso a repetição dos testemunhos", justifica.

A percepção dos menores acaba por ser a de que o seu testemunho não é valorizado o que para Catarina Ribeiro torna-se "preocupante quando muitas das vezes é esse o único meio de prova". A docente aponta o modelo seguido nos países nórdicos como o ideal em que as crianças são interrogadas uma ou duas vezes com todos os elementos necessários para o julgamento do processo presentes. Esta "inoperância" do sistema português leva a que o menor saia do tribunal "sem um projecto de vida" delineado, depois mais agravado quando a estruturas de acompanhamento falham. »

in DN online, 18-6-2009

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Shakespeare, "Você Aprende", porque sim...

As promessas do dia...

Sócrates promete fazer "mais e melhor"...




Jesus promete títulos no Benfica...




Promessas, promessas, promessas...


Como diria William Shakespeare: "Palavras, palavras, palavras..."

José Calvário: Dados biográficos do maestro...

«Lisboa, 17 Jun (Lusa) - O maestro José Calvário, hoje falecido, nasceu no Porto em 1951 e o piano foi um dos primeiros e marcantes "encontros" da sua vida. Tinha seis anos quando deu o seu primeiro recital, no Conservatório de Música daquela cidade.

Não muito tempo depois, com 10 anos, já então sabendo ler partituras, deu o primeiro concerto. A orquestra foi a Sinfónica do Porto, dirigida pelo maestro Silva Pereira.

Parecia encaminhado para uma carreira na música clássica mas assim não foi. Outras experiências lhe estavam reservadas e outra havia de ser a música em que se tornaria conhecido.

Depois do Porto, a etapa seguinte foi a Suíça, onde os pais queriam que se formasse em Economia.

Na Suíça, Calvário aceita o convite de colegas estudantes e integra uma orquestra de jazz. Os estudos postos de lado, acaba por receber dos pais a ordem de regressar, e cumpre-a.

Em 1971 está em Lisboa e um dia lê um anúncio do Festival da Canção. Decide concorrer - mal sabendo então que um ciclo decisivo da sua vida se inaugurava então.

Logo ano seguinte, com José Niza, representa Portugal na Eurovisão e o resultado é assinalável.
A canção portuguesa consegue então uma das melhores classificações de sempre.

Regressará ao Festival com Niza e a canção "E depois do adeus", que algum tempo depois seria uma das canções-chave do 25 de Abril.

Grava com cantores como Adriano Correia de Oliveira, Fernando Tordo, Carlos Mendes, entre outros, e a sua presença no cenário musical internacional intensifica-se. Recebe solicitações de diversas etiquetas.

Regressa à Suíça, onde permanece durante algum tempo trabalhando como jornalista, mas Portugal volta a impor-lhe o seu apelo.

"Saudades", um álbum de 1985, gravado com a Orquestra Sinfónica de Londres, é um sucesso de vendas. Calvário é já então um maestro e compositor conceituado em estúdios como o de Abbey Road, como assinalou à Lusa o cantautor Fernando Tordo.

Nos anos seguintes, a internacionalização prossegue e Calvário recebe, de vários quadrantes, convites para dirigir orquestras, gravar, compor. Os álbuns que grava são da ordem das dezenas, pagos alguns a expensas próprias. Ele tinha um "talento absolutamente invulgar", nas palavras de Tordo.

O mesmo Tordo assinalou à Lusa um outro traço da personalidade de Calvário: era, disse, uma figura "controversa, como convém a um artista".

Essa característica o terá levado, há poucos anos, a contestar a actual direcção da Sociedade Portuguesa de Autores, que acusou de ter cometido várias irregularidades.


Estava doente há oito meses, em "estado vegetativo" desde que o acometera um enfarte. »

Lusa, 17-6-2009

Morreu o maestro e compositor José Calvário...


«O maestro e compositor José Calvário morreu hoje, aos 58 anos, em Oeiras.»

Lusa, última hora, 17-6-2009









E depois do Adeus


Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.

Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder

Tu vieste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci

E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te desfolhei...

E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós
.

Voz: Paulo de Carvalho
Música: José Calvário
Letra: José Niza


Nota:
Esta canção serviu de senha de início da revolução de 25 de Abril de 1974.

Foi dito pelo senhor Onésimo...


"É tão mau que está situado numa vila chamada Miséria. Só tem vento e calhaus."
.
Onésimo Silveira, ex-presidente da Câmara do Mindelo, em São Vicente (Cabo Verde), recusou ontem no Tribunal de Sintra a tese de que o autarca de Oeiras, Isaltino Morais, terá feito pressão sobre os responsáveis daquele município no sentido de obter um terreno na Praia do Calhau para construir uma casa particular. O responsável cabo-verdiano garante que o referido terreno foi uma doação da autarquia a Isaltino Morais, num "acto de gratidão". Correio da Manhã, 17/06/2009, reproduzido no Expresso online.

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.