Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Pedro Passos Coelho acordou esta manhã, passou os olhos pelos jornais e concluiu: "Parece que o mundo inteiro se uniu para me tramar"









«70 personalidades escrevem carta a pedir demissão de Passos»



«Setenta personalidades portuguesas assinaram e enviaram uma carta-aberta ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a pedir a sua demissão, por considerarem que a política seguida pelo Executivo está a "fazer caminhar o país para o abismo".
 
Os signatários da carta garantem que as medidas de austeridades anunciadas pelo executivo liderado por Pedro Passos Coelho excederam as que constam, quer no programa eleitoral do PSD, quer no Programa de Governo "e as consequências têm um forte impacto sobre os portugueses".

A carta-aberta foi enviada ao primeiro-ministro e uma cópia seguiu igualmente para Belém, para o presidente da República, Cavaco Silva.

Na missiva, assinada por personalidades de vários quadrantes da sociedade portuguesa, como Mário Soares, Siza Vieira e Júlio Pomar, os signatários consideram que "austeridade custe o que custar" está a empobrecer o país.

"Perdeu-se toda e qualquer esperança", escrevem, criticando o desmantelamento das funções sociais do Estado, a alienação de empresas estratégicas, os cortes nas pensões, nas reformas e nos salários, o incentivo à emigração e o crescimento do desemprego.

Com as falhas verificadas em todas as previsões económicas, acusam o Executivo de Pedro Passos Coelho de ter "um fanatismo cego" que está a fazer "caminhar o país para o abismo".

Classificam ainda o Orçamento do Estado, aprovado na segunda-feira, de "injusto, socialmente condenável e portador de disposições de constitucionalidade duvidosa".

E, perante este cenário, os signatários apelam ao primeiro-ministro para que "retire as consequências políticas que se impõem, apresentando a demissão ao Senhor Presidente da República, poupando assim o País e os Portugueses ainda a mais graves e imprevisíveis consequências".

Entre os signatários desta carta estão dirigentes do PS e do Bloco de Esquerda (casos de Fernando Rosas e Daniel Oliveira), sindicalistas (com particular destaque para o ex-líder da CGTP-IN Carvalho da Silva), professores universitários e figuras ligadas ao meio da cultura.

Subscrevem ainda o documento Adelino Maltez (professor universitário), Alfredo Bruto da Costa (sociólogo), Alice Vieira (escritora), Siza Vieira (arquitecto), Ana Sousa Dias (jornalista), Dias da Cunha (empresário), António Arnaut (advogado), António Reis (professor universitário), Boaventura Sousa Santos (professor universitário), Carlos Trindade (sindicalista), Duarte Cordeiro (deputado do PS), Clara Ferreira Alves (jornalista), Ferro Rodrigues (ex-líder do PS e deputado), Eduardo Lourenço (professor universitário), Helena Pinto (deputada do Bloco de Esquerda), Inês de Medeiros (deputada do PS), Maria de Medeiros (realizadora e atriz), Jaime Ramos (medido e ex-deputado do PSD), Joana Amaral Dias (professora universitária) e Medeiros Ferreira (antrigo ministro dos Negócios Estrangeiros).

Assinam ainda o documento João Galamba (deputado do PS), Pedro Delgado Alves (ex-líder da JS), Mário Jorge (médico), João Torres (líder da JS), João Cutileiro (escultor), João Ferreira do Amaral (economista), Júlio Pomar (pintor), Manuel Maria Carrilho (ex-ministro da Cultura), Pedro Abrunhosa (músico), Pilar Del Rio Saramago (jornalista) e Teresa Pizarro Beleza (jurista).»



 
Texto in JN online, 29-11-2012
Imagem in Google
Título do post de Zorate, baseado na canção 'Não Há Estrelas No Céu' de Rui Veloso. 

1 comentário:

Pedro disse...

My Facebook Profile

A Carta dos 70. Hoje 70 personalidades assinam carta pedindo demissão do Governo. A Carta ainda é pior do que eu imaginava !!!! O que os signatários dizem é o seguinte : " Os eleitores fora defraudados. De forma intencional o Governo actual enganou os Portugueses prometendo-lhes o que depois não cumpriu .
Perdeu-se a esperança porque são cortadas pensões e as funções sociais do estado estão a ser diminuidas.
Para 2013 é aprovado orçamento iníquo que vai agravar situação do país
É imprescindivel a demissão do governo , e a tomada de posse de outro Governo que dê esperança aos Portugueses.". É isto que a carta diz. Mas isto é de uma pobreza imensa. . Pede-se a demissão do Governo porque este não cumpre. Vejamos : Se um Governo não cumpre o que prometeu isso é motivo para a sua demissão ? Isso não pode pois ser justificação para demissão de um Governo . Se isso fosse justificação para demissão teríamos um Governo por ano, em Portugal. Logo que o Governo não cumprisse, era demitido. Um governo por ano em Portugal. Um país ingovernável, Por outro lado critica-se o corte nas pensões e funções sociais do estado. Mas como poderia o estado diminuir no que gasta sem cortar em alguma coisa ? Para se diminuirem os gastos tem de se cortar na despesa. ........... Depois critica-se o orçamento para 2013. A principal caracteristica do orçamento 2013 é o aumento de impostos. Isso é inevitável para o estado poder cobrir as despesas que tem. Se hà despesa tem de se arranjar receita. É por isso que as pessoas se levantam todos os dias . Têm de trabalhar, arranjar receita para cobrir as suas despesas. As receitas do estado vêm dos Impostos. Se o Estado tem certas despesas que não podem ser súbitamente diminuidas , tem de aumentar impostos. Aliàs o Governo tentou diminuir a despesa com os cortes nas pensões .Foi o Tribunal Constitucional que impediu essa poupança. Assim sendo os impostos têm de aumentar. Num parágrafo a carta critica os cortes nas funções sociais do estado, que é despesa do estado. E no parágrafo seguinte diz-se que é iniquo um orçamento caracterizado por um aumento de impostos inevitável para financiar o estado social que se defende no parágrafo anterior. Os signatários querem poucos impostos e muito estado social. A isso chama-se querer sol na eira e chuva no nabal. Isso é impossivel. Ou hà grande carga fiscal e estado social ,ou menor carga fiscal e diminuição do estado social. Isto qualquer pessoa seria suposto perceber. Os signatários não percebem isto. Por fim pede-se Governo que dê esperança a Portugal. Mais um tiro ao lado. Quem tem tiirado a esperança a Portugal não é o Governo, é a comunicação social sempre a repisar noticias negativas , sempre a abrir os boletins noticiosos com más noticias. As notícias positivas são quase ignoradas e as notícias negativas repisadas. Um exemplo concreto : A uma entrevista de Luís Amado à TVI , do PS em que este quase não critica o executivo pouca importância se dá enquanto as criticas de Ferreira Leite a Passos Coelho fazem abertura dos boletins de notícias. A comunicação social não é imparcial, neutra . Este constante repisar das criticas , este sublinhar de factos negatvos é que tira a esperança aos Portugueses. Os signatários parecem não entender esta evidência.

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.