Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Pela primeira vez, senti Cavaco Silva presidente de TODOS os portugueses

 
«Saio do meu exílio do direito de expressão de opinião política para escrever 3 coisas breves:

1) O Presidente deixou claros os argumentos porque não promove - de imediato - a dissolução da Assembleia da República (ter um OE 2014 pronto antes do final do ano de 2013; assegurar, com um ano de antecedência, os 14 000 milhões de pagamentos de dívida assumida e pagáveis em 2014; concluir o Plano de Ajustamento Estrutural com a Troika, em Julho de 2014).

2) São todos argumentos racionais, até plausíveis e que se sobrepõem à lógica partidária, pois apontam para a imperiosa necessidade de se tentar um derradeiro consenso dos subscritores do memorando de entendimento com a Troika (que coincidem com o arco da governação, PS/PSD/CDS) antes de se devolver a palavra aos eleitores.

3) Todas as possibilidades ficam em aberto, caso estes partidos do arco da governação não se entendam "rapidamente" numa solução tripartida.

Não tenho dúvidas que foi a decisão mais importante quer tomou desde que é Presidente da República e que (de modo positivo ou negativo) a história se encarregará de o julgar por isso, independentemente de todas as opiniões e de todo o ruído que se gerou, e vai gerar ainda, em torno da questão.

Não sou Cavaquista e confesso que me surpreendeu favoravelmente pois, de Belém, não estávamos a habituados a que fossem tomadas decisões visíveis e que têm a ver, de forma profunda, com o regular funcionamento das instituições democráticas (art.º 120.º da Constituição).

Ou será que alguém tem dúvidas que é disso mesmo que se trata: do regular funcionamento de instituições que não têm sido, nem regulares (leia-se normais), nem funcionais?»
 
 
Texto do meu amigo Joao Gonçalo Bianchi Villar
Título do post de Zorate

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.