Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Aconteceu na terra que me viu nascer, em Associação que ajudei a fundar: Tiroteio faz três mortos




«Motivos passionais levaram um homem, esta tarde, a matar a ex-mulher, de 26 anos, e uma amiga desta, após o que se suicidou.

O episódio ocorreu no exterior do infantário Pomba da Paz, no Catujal, Sacavém, onde o agressor se preparava para ir buscar uma filha. O homicida e a ex-mulher tinham outros dois filhos em comum mas que não estavam na instituição.

Segundo disse ao Expresso o comissário Paulo Flor, da PSP, o homem cruzou-se com a ex-mulher e disparou um revolver, matando-a de imediato. De seguida, baleou a amiga que a acompanhava, que ficou ferida com gravidade. E logo depois suicidou-se.

A amiga da ex-mulher viria a falecer mais tarde, goradas as tentativas dos bombeiros para a manter viva.

Os disparos foram ouvidos pelas crianças no interior do infantário e "metidas nas salas imediatamente após os tiros", disse ao Expresso o diretor do infantário Associação Pomba da Paz, Arlindo Almeida. Mas o crime foi presenciado por algumas crianças que se encontravam no local.

Herlander Isidoro, presidente da Junta de Freguesia de Unhos, adiantou ao Expresso que "já se conheciam problemas familiares"

No carro do homicida foi ainda encontrada uma caçadeira, já apreendida pela PSP.

Para o local os Bombeiros Voluntários de Sacavém fizeram seguir quatro ambulâncias e uma viatura de emergência e reanimação, além de oito homens. A PSP está presente com vinte unidades.»




in Expresso online, 14-6-2013

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.