Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Pai



Faz hoje 39 anos que vi e senti, com 17 anos de idade, o mundo a desmoronar-se à minha volta.
Primeiro, o choque. Depois, as lágrimas, seguidas por uma dor imensa.
Disseram-me que o tempo ajudaria a suavizar a dor.
Não, o tempo não suavizou esta dor profunda.
O tempo, deu-me, é verdade, filhos e neta que me vão distraindo da dor.
Sinto tantas saudades tuas, Pai.
Onde estás?





Pode ver este vídeo no canal 23 84 18



Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.