Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

domingo, 12 de outubro de 2014

Poesia adegueira, tirada agora da algibeira



Oiço o som da chuva a cair na rua
Mas não é uma precipitação geral
Cá dentro chove no copo vinho Adua
Presunto e Pão, tudo bom, celestial




Do meu blogue 'poeta e louco um pouco'
Foto ilustrativa in Google

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.