Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

sábado, 4 de junho de 2011

Sindicato dos Intocáveis pondera processar Marinho Pinto


«Associação sindical diz que o bastonário dos advogados violou o dever de reserva ao comentar o caso de agressão entre jovens.


- Marinho Pinto -


A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) está a ponderar apresentar uma participação disciplinar contra Marinho Pinto, na Ordem dos Advogados.

Em causa estão as declarações que o bastonário dos advogados tem feito na comunicação social sobre o caso da adolescente de 13 anos agredida por jovens de 16 e 18, que foram presos preventivamente.

A decisão de aplicar a prisão preventiva coube ao juiz de instrução Carlos Alexandre – que acompanhou, aliás, o pedido nesse sentido feito pelo Ministério Público. «Isto é um sistema judicial da Idade Média», disse Marinho Pinto, acrescentando: «A agressão foi até repugnante pelo facto de haver quem estivesse a rir. Mas a prisão preventiva foi excessiva. Só foram presos porque foram filmados e são pobres».

Para o presidente da ASJP, António Martins, é claro que o bastonário dos advogados «violou mais uma vez os estatutos da Ordem, nomeadamente o direito de reserva, previsto no artigo 88.º» do respectivo estatuto – disse o juiz ao SOL.

O presidente da ASJP desconhece que o próprio juiz Carlos Alexandre, segundo fontes contactadas pelo SOL, possa apresentar uma queixa-crime contra o bastonário. Mas garante que, se o magistrado o fizer, «a direcção nacional da ASJP ponderará apoiá-lo, tal como já fez no passado em relação a outros colegas em situações semelhantes».

A decisão depende, para já, do que vier a ser deliberado na reunião nacional da associação sindical, marcada para o próximo dia 17.

Conselho Superior da Ordem não comenta

O SOL tentou obter um comentário sobre este assunto do presidente do Conselho Superior da Ordem dos Advogados – o órgão de disciplina e deontologia da classe. Questionado sobre se este órgão pretende suscitar procedimento disciplinar contra o bastonário pela tomada da posição pública sobre o caso, Óscar Ferreira Gomes não quis fazer qualquer comentário.»


in SOL online, 04-6-2011
Título do post de Zorate


Notas do Zorate:
Marinho Pinto ficará na história como um dos homens que mais se bateu por uma verdadeira Justiça em Portugal.
Se na magistratura portuguesa existissem muitos 'Marinhos Pintos', acredito que a Justiça não estava neste lamaçal.
A existência de um Sindicato que representa elementos que são um dos órgãos de soberania, é uma das aberrações que ajuda a perceber esta desgraçada Justiça.

1 comentário:

Anónimo disse...

Quando os Advogados se representam por uma pessoa como o Dr. Marinho Pinto, a situação em que se encontra a Justiça em Portugal fica automaticamente explicada.
O Dr. Marinho Pinto seria mais coerente se fosse para Juiz, cargo onde poderia aplicar as suas teses sobre Justiça, em vez de andar permanentemente a criticar quem não é responsável pela produção das Leis que nos governam, mas apenas pela sua gestão...
Melhor ainda: o Dr. Marinho Pinto devia ser obrigado a dar guarida, na sua casa, junto da sua família, aos meninos e meninas que veio defender. Essa solução seria sujeita a duas condições: o Dr. Marinho Pinto passava a ser co-responsável daqui para a frente pelos actos praticados por aqueles cidadãos contra outros cidadãos, mas não poderia apresentar queixa do que eles lhe fizessem (ou à família). A força das suas convicções seria provada por este teste... Antecipo que ele não o aceitaria.
Obrigado pelo espaço,
JM

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.