Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

China treina dez mil pombos-correios para garantir a comunicação em caso de guerra ou de catástrofe natural



«Uma divisão do Exército de Libertação Popular, na província chinesa de Sichuan, vai treinar dez mil pombos-correios para garantir a comunicação em caso de guerra ou de catástrofe natural, noticia esta sexta-feira o jornal 'South China Morning Post'.

O diário chinês explica que em tempos de paz as aves vão ser utilizadas para chegar a zonas remotas. Em 2008, Sichuan, a província onde as aves vão ser treinadas, sofreu um sismo de 7,9 graus na escala de Richter. Morreram mais de 80 mil pessoas e as comunicações ficaram cortadas em muitas zonas, devido ao terramoto.

As províncias vizinhas como Guizhou, Yunnan e o Tibete terão estações para receber as mensagens dos pombos.

Desde 1950 que a China se dedica ao uso militar dos pombos-correios para enviar mensagens aos países vizinhos do sudeste da Ásia. Na altura as aves era importadas da Polónia e da União Soviética.

Só a capital da província de Yunnan, Kunming, terá treinado mais de 50 mil pombos até aos dias de hoje.

Os pombos-correios foram utilizados nas duas guerras mundiais do século XX. Calcula-se que na I Grande Guerra, 95% das mensagens transmitidas chegaram com sucesso ao destinatário, lembra o site 'g1'.»


Texto in CM online, 17-12-2010





Notas do Zorate:
O pombo-correio é uma das minhas muitas paixões.
Sou um columbófilo não concorrente, isto porque tenho cerca de 100 pombos e não participo com eles em qualquer prova.
Quando iniciei a criação de pombos-correios, 1996/1997,  inscrevi-me numa Sociedade Columbófila e cheguei a participar em provas de velocidade (distância máxima 300 km) e meio-fundo (distâncias de 301 a 500 km).
Quando percebi que a actividade era dominada por "máfias" doentias com interesses pouco claros e até alheios ao puro prazer de ter estas lindas e inteligentes aves, desisti das competições.
Mas não desisti do imenso prazer de ver os pombos a voar.
Os meus pombos estão em regime aberto. Saem e entram no pombal quando querem.
De vez em quando vou largá-los a 100, 200 ou 300 km de distância. Claro que quando chego aqui a casa, já eles estão à minha espera.
Quando aparece um amigo que se disponibiliza para mos levar e soltar numa distância considerável, transmitindo-me pelo telefone o momento exacto da largada, é uma felicidade imensa vê-los chegar um a um.




Imagens Google

1 comentário:

Alex Mantovani disse...

Parabéns pelo blog e principalmente pelo clube de pombos correios, Uberlândia já estava precisando.
Meu nome é Alex, 38 anos, quando eu era criança eu e meus amigos criávamos pombos de diversas raças inclusive os lindos correios era muito divertido, terapêutico, onde eu curtia todos os detalhes: acasalamento, reprodução, adestramento; gostava de observa-los "ruliar". ainda hoje gosto de ficar apreciando eles pela cidade.
Por favor se for possível me mande informações de eventos, de amostra de criadouros etc.
fones: 034-92042552tim 96394949ctbc
e-mail: alexudimg@hotmail.com

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.