Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Romeno desesperado salta de varanda para cima de deputados

«Em protesto no Parlamento contra os cortes nas pensões para pessoas com deficiência, um técnico da televisão estatal romena lançou-se, hoje, quinta-feira, de uma altura de sete metros para cima dos deputados. Veja o vídeo em baixo.

O homem, Adrian Sobaru, de 41 anos, subiu a uma das galerias do Parlamento, em Bucareste, e, desesperado, gritou antes de se atirar: "Vocês estão a roubar o pão dos meus filhos". Na camisola que vestia, lia-se: "Vocês mataram o futuro dos nossos filhos, vocês venderam-nos".

O protesto referia-se ao fim das pensões para os portadores de deficiência. O técnico de televisão tem um filho autista e, por isso, vai perder as subvenções a que tinha direito.

Apesar do salto, o homem sobreviveu e está livre de perigo, apesar de ter ficado em estado grave, com politraumatismos.

O desespero de Adrian Sobaru é o reflexo das medidas de contenção que o Governo romeno adoptou, em resultado de um crédito internacional que obteve de 20 mil milhões de euros.

Entre as medidas acordadas com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para conter o défice abaixo dos 6,8%, está a redução dos salários públicos em 25% e o aumento do IVA de 19% para 24%.

Após o incidente, os deputados da oposição retiraram-se do Parlamento.

O primeiro-ministro lamentou o "acontecimento trágico" e assegurou compreender "as dificuldades com que se deparam muitos romenos durante este período de crise".»




in  JN online, 23-12-2010

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.