Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Graça Moura, o primo do outro

O maestro que adorava lingerie de senhora, charutos e andar de balão

Miguel Graça Moura foi acusado do crime de peculato por apropriação indevida de bens. Durante os 11 anos dirigiu a Orquestra Metropolitana de Lisboa o total dos fundos públicos indevidamente gastos a título pessoal ascende a 720 mil euros.




"Para estimar o total de 720 mil euros, o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa considerou despesas efectuadas pelo maestro, indistintamente com cartões de débito e crédito, próprios e da AMEC, de 1996 a 2001. Entre elas estavam a renda e gastos relativos à casa do maestro, estadias em estâncias de luxo, passagens aéreas em primeira classe - em nome do maestro e de terceiros, alheios à associação -, viagens de balão e helicóptero, limusinas, artigos de decoração, vestidos, charutos cubanos, jóias e até lingerie." CM

Se houvesse dúvidas em relação ao uso tresloucado da batuta pelo maestro Graça Moura, elas diluem-se facilmente depois destes números: viagens em seu nome e não só- 214.377 euros, com destinos como os Estados Unidos, Argentina, México, Tailândia e Singapura (muitas em 1ª classe). Entre 1996 e 2002, o maestro apresentou gastos em refeições superiores a 80 mil euros. Em CD e livros apresentou despesas de 52.542 euros. Quanto a compras diversas, desde aparelhagens áudio, gravadores, jóias, vinhos, mobiliário e obras de arte, Graça Moura terá gasto mais de 240 mil euros.

Cada um gasta o que quer e ninguém tem nada a ver com o assunto. E eu acho que é de louvar que alguém gaste o dinheiro que tanto lhe custou a amealhar em passeios de balão e de helicóptero se é um sonho ou ambição antiga. O assunto aqui só começou porque o maestro Graça Moura fazia uma certa confusão entre o dinheiro dele e o dos fundos públicos que geria, o que é lamentável. E vai daí desatou a comprar cuequinhas e soutiens com o dinheiro que supostamente seria para a Orquestra. Ora como a Orquestra que se saiba nunca actuou em lingerie levantou-se um problema. Quem usava as cuequinhas de renda? Quem bebia o vinho? Quem andava no balão? E o que para o maestro durante algum tempo deve ter sido um enorme prazer acabou por se tornar numa grande chatice.

Em relação a este senhor eu só tenho a dizer uma coisa. Caso se prove, e não parecem restar grandes duvidas, de que foram usados fundos públicos num montante obsceno durante anos de forma leviana e para seu uso privado e descarado, espero que pelo menos durante o mesmo número de anos vá dirigir a orquestra sinfónica do Estabelecimento Prisional do Linhó. E se entender que os músicos detidos devam actuar em cuequinhas de renda força, desde que as pague do seu próprio bolso.


Texto e imagem in Expresso online, 17-01-2011
Título do post de Zorate

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.