Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

domingo, 16 de janeiro de 2011

Isto quer dizer que o jornalismo LIVRE a que o Expresso nos habituou morreu no dia 31 de dezembro de 2010?


Fernando Nobre acusa 'Expresso'de praticar silenciamento



Candidato vai apresentar queixa à Comissão Nacional de Eleições por não ter sido referido pelo semanário.

Deixou o silenciamento, na forma tentada, de ser um fantasma na campanha de Fernando Nobre. Na Guarda, onde fez a principal intervenção política de ontem, o candidato começou ao ataque, anunciando um exemplo, materializado na edição de ontem do Expresso: "Há referências às outras candidaturas, mas nem uma palavra, nem uma fotografia desta nossa candidatura! Isso é intolerável."

"Se isto não é silenciamento, o que é? Isto é um facto político!", insistiu o cirurgião, para quem o sucedido é a evidência de que "esta é a candidatura que incomoda, por ser a única capaz de derrotar Cavaco Silva na segunda volta". Desde manhã que elementos da comitiva se mostravam indignados, até porque, na mesma edição do semanário, um estudo de opinião dava Nobre como o candidato mais honesto, e à tarde fonte da candidatura disse aos jornalistas que Fernando Nobre vai apresentar uma queixa formal na Comissão Nacional de Eleições.

Contactado pelo DN, Ricardo Costa, director do Expresso, não quis comentar esta questão.

Nobre foi apresentado na Guarda pelo mandatário distrital, Francisco Figueiredo, e por Luís Represas, mandatário em Lisboa, que cantou o tema Sagres, numa associação ao período áureo da História de Portugal, que Nobre já fizera na Covilhã.

De pé no tejadilho de um carro, ao lado da estátua de Pêro da Covilhã, viajante quatrocentista, uma espécie de espião de D. João II que preparou a viagem de Gama à Índia, lançando um tempo novo, o médico assumiu--se como "um homem do futuro, alicerçado no seu povo".


Texto in DN online, 16-01-2011
Imagem Google
Título do post de Zorate


Notas do Zorate:
Em menos de uma semana, tomo conhecimento de duas atitutes censórias praticadas por Ricardo Costa, director do Expresso desde 01 de janeiro de 2011.
Primeiro foi o cartonnista Rodrigo que viu um cartoon seu ser retirado da edição online do Expresso, menos de 12 horas após a publicação.
Agora é o candidato presidencial Fernando Nobre a queixar-se.
Isto quer dizer que o jornalismo LIVRE a que o Expresso nos habituou  - desde a sua fundação em 1973 - morreu no dia 31 de dezembro de 2010?
Fica a pergunta...

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.