Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

domingo, 24 de abril de 2011

Otelo, pedem-te para fazeres o tal 50 de Abril?


"Pedem-me para fazer outro 25 de Abril"




"Todos os dias, quando ando na rua, pedem-me para fazer outro 25 de Abril. São os taxistas, são os populares."


Otelo Saraiva de Carvalho, in DN online, 24-4-2011
 
 
Notas do Zorate:
Otelo, pedem-te para fazeres o 50 de Abril que nos falaste em 1978/79 (?), naquela reunião realizada numa sala da Biblioteca Nacional, no Campo Grande, em Lisboa, ao lado da casa de Mário Soares?
O tal 50 de Abril, que passaria por eliminar fisicamente todos os Pides, Fascistas, Capitalistas e todos aqueles que se atravessassem à tua frente?
Pedem-te para fazeres um 50 de Abril, que passe pela eliminação física de administradores de empresas?
Lembras-te do que aconteceu a Monteiro Pereira, administrador da Fábrica de Loiças de Sacavém? (Esta fábrica faliu pouco tempo depois, pá! E o espaço deu lugar a um condominio de luxo, pá! Onde Luís Filipe Vieira e outros, encheram os bolsos, pá!)
Lembras-te de Gaspar Castelo-Branco, Director-Geral dos Serviços Prisionais?
Lembras-te de Rogério Canha e Sá, administrador da Gelmar, empresa pública de peixe congelado?
Lembras-te do atentado à bomba no Alentejo (São Manços) onde foi barbaramente assassinado um inocente  bebé de quatro meses?
Lembras-te do militar da GNR que foi assassinado no Algarve, quando desempenhava a sua missão de agente de segurança?
 
 
É este o 50 de Abril que te pedem, OSCAR/UNIDADE?
 
Otelo, ganha vergonha na cara, pá!

Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.