Destas mãos que falam, saem gritos d'alma, gemidos de dor, às vezes, letras com amor, pedaços da vida, por vezes sofrida, d'um iletrado escritor. Saem inquietações, também provocações, com sabor, a laranjas ou limões. Destas mãos que falam, saem letras perdidas, revoltas não contidas, contra opressões, das nossas vidas! (AJoão)

sábado, 23 de abril de 2011

Será do lote das distribuídas por Oscar/Unidade do Projecto Global?


Gang violento assalta com G3


«Atacaram um casal de sexagenários, que espancaram e sequestraram durante 30 minutos, ontem de madrugada, na casa onde vivem, no Amial, Águeda. O gang violento, constituído por quatro homens armados com G3, levou apenas um par de brincos, um fio de ouro e um telemóvel que o casal, Augusto Santos, de 68 anos, e Amélia Ribeiro, de 63 anos, tinha em casa.

"Estava a dormir quando ouvi barulho. Virei-me para o meu marido e disse-lhe para acordar pois estávamos a ser assaltados. Não deu tempo para fazer nada. Quando olhei para a entrada do quarto já lá estava um homem armado. Deu-me murros e disse para estar calada, senão morria", conta Amélia Ribeiro.

O assalto ocorreu pelas 04h20. Três dos ladrões entraram na casa, enquanto outro cúmplice ficou no carro a vigiar. Assim que entraram na habitação, dois dos assaltantes dirigiram-se ao quarto, prenderam o casal com os lençóis da cama e obrigaram-nos a estar sempre de cabeça para baixo. "Só vi um homem a apontar-me o cano da G3 e a enrolar-me a roupa da cama para que eu não me mexesse", recorda Augusto. Um dos ladrões dirigiu-se então para a junto de Amélia e ameaçou-a: "Dá-me os brincos ou corto-te as orelhas."

Os ladrões revistaram a casa à procura de dinheiro, mas não encontraram nada. Acabaram por fugir num carro. A Polícia Judiciária de Aveiro está a investigar o caso.»


in CM online, 23-4-2011
Título do post de Zorate


Sem comentários:

Contador, desde 2008:

Localizador, desde 2010:

Acerca de mim

A minha foto
"Horta do Zorate" é um blogue pessoal, editado por Alberto João (Catujaleno), cidadão do mundo, fazedor desencostado, em auto-construção há 59 anos.